Pedido da Rússia a Portugal

A Rússia considera que a missão de formação dos militares ucranianos que está a ser levada a cabo pela União Europeia torna os vinte e sete “parte do conflito”. Isto foi afirmado hoje pela porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, durante sua coletiva de imprensa semanal. “Quase 107 milhões de euros estão destinados a isso. Esta etapa é adicional ao fornecimento de armas letais ao regime de Kyiv e aumenta qualitativamente o envolvimento da UE, fazendo dela parte do conflito“, expressou.

Estas declarações surgem dias depois de Bruxelas ter dado luz verde a um missão de assistência militar, que consiste em treinar cerca de 15.000 soldados ucranianos durante dois anos em um dos estados da comunidade. Mas não foi o único aspecto da posição do Ocidente no conflito que Zajárova aproveitou para criticar. Ela também atacou a decisão desses países de “aumentar seu potencial de defesa antiaérea” e, “como antes”, continuar “enchendo-o de armas e preparando-o para uma guerra prolongada”.

Este tipo de estratégia, continuou o porta-voz russo, “inevitavelmente” leva a “aumento do número de vítimas”. Fato que, segundo Zajárova, não só “Certamente não diz respeito ao Ocidente”mas também acredita “Esse é um dos objetivos deles”condenou a porta-voz estrangeira russa.

A Rússia não vai dar autorização a Portugal

Nesse sentido, pediu a Portugal que não envie helicópteros de combate a incêndios para a Ucrânia que já haviam comprado da Rússia, embora, para isso, precisa de permissão de Moscou e não parece que eles vão conceder a ele. “Ainda mais quando Lisboa transfere helicópteros para a Ucrânia não para combater incêndios”, apontou Zajárova.

A UE “pede aos seus cidadãos que forneçam aquecimento por conta própria”

O representante russo aproveitou para lembre-se de quais foram os gastos militares da Organização do Tratado do Atlântico Norte no Conflito russo-ucraniano e comparou-o com os pedidos dos países membros da União Europeia em relacionado com a falta de gás. De acordo com Zakharova, a Aliança forneceu à Ucrânia pelo menos 300 tanques, 130 carros de infantaria, 400 veículos blindados, 700 peças de artilhariaalém de todo tipo de projéteis e munições.

“E depois de tudo isso os regimes dos países da UE eles pedem aos seus cidadãos para tomar banho menosque fornecem aquecimento por conta própria, porque Agora eles não podem garantir conforto. Sabemos onde gastam o dinheiro e agora os cidadãos dos países da UE sabem disso”, apontou Zajárova.

Joseph Salvage

"Fanático hardcore de mídia social. Propenso a ataques de apatia. Criador. Pensador. Guru dedicado da web. Aficionado por cultura pop. Solucionador de problemas."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *