O que aconteceu com Madeleine McCann: 15 anos se passaram desde seu desaparecimento e uma última esperança para continuar investigando

Gerry e Kate McCann, pais de Madeleine.

Quinze anos após o desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann no sul de Portugal, avanços judiciais dão esperança de desvendar o mistério depois que a Justiça portuguesa formalmente constituiu o alemão Christian Brueckner como suspeito “in extremis” para impedir que o caso prescreve.

Maddie desapareceu em 3 de maio de 2007 do apartamento que a família tinha alugado na Praia da Luz, no Algarve português, onde dormiu com os irmãos – dois gémeos de dois anos – enquanto os pais jantavam com um grupo de amigos no mesmo complexo turístico.

O caso rapidamente se tornou o desaparecimento de menor de maior visibilidade até hoje e, após várias linhas de investigação, teorias e suspeitos ao longo de quinze anos, o mistério pode estar mais perto de ser resolvido do que nunca.

Christian Brueckner é o principal suspeito do desaparecimento
Christian Brueckner é o principal suspeito do desaparecimento

A Justiça portuguesa acaba de constituir um cidadão alemão, Christian Brueckner, como “arguido”, uma figura portuguesa que é utilizada para designar os suspeitos formais sobre os quais recaem fortes provas, anteriores à acusação.

Esta decisão foi tomada poucas semanas após o 15º aniversário do desaparecimento, prazo máximo para a prescrição de um crime de homicídio em Portugal, o que dá às autoridades mais tempo para continuar a investigar e recolher provas.

“Como há um suspeito, acho que as autoridades portuguesas quiseram ser cautelosas e constituí-lo como ‘arguido'”, João Mira Godinho, um dos jornalistas portugueses que acompanhou mais de perto o caso, explica à EFE.

Madeleine desapareceu durante férias em família em Portugal em 2007. REUTERS/Chris Helgren
Madeleine desapareceu durante férias em família em Portugal em 2007. REUTERS/Chris Helgren

Godinho, que colaborou numa minissérie sobre o desaparecimento de Maddie que estreia na AMC na próxima terça-feira, recorda que desta forma a prescrição fica suspensa por sete anos e meio, e se a investigação sobre Brueckner der frutos, poderá finalmente ser acusado. .

O suspeito de 45 anos viveu entre 1995 e 2007 no Algarve e estava perto do complexo de apartamentos na noite em que Maddie desapareceu, segundo dados do seu telemóvel.

Com uma extensa ficha criminal por abuso sexual, agressão física, roubo e contravenções, ele estava no radar das autoridades desde que foi extraditado de Portugal para a Alemanha em 2017 acusado de outro caso de abuso sexual de menores na Grécia.

Um cinegrafista filma o apartamento onde Madeleine McCann, desaparecida em 2007, na Praia da Luz, Portugal, em 4 de junho de 2020. REUTERS/Rafael Marchante
Um cinegrafista filma o apartamento onde Madeleine McCann, desaparecida em 2007, na Praia da Luz, Portugal, em 4 de junho de 2020. REUTERS/Rafael Marchante

DÉCADA E MEIA DE BUSCA

A aparição de Brueckner lança esperança nas chances de resolver o caso após anos de pistas, teorias e suspeitos que não deram em nada.

O caso tem sido investigado em paralelo pelas autoridades portuguesas e britânicas, que acabaram por torpedear o processo, segundo quem o acompanhou de perto.

“Deveria ter havido mais cooperação e menos competição, porque parecia que a polícia portuguesa estava de um lado e a britânica do outro”, diz Godinho, convencido de que as “acusações” lançadas pela imprensa inglesa contra as autoridades portuguesas trabalho difícil.

Até hoje, este continua sendo o caso mais midiático de desaparecimento EFE/MARCUS BRANDT/Arquivo
Até hoje, este continua sendo o caso mais midiático de desaparecimento EFE/MARCUS BRANDT/Arquivo

Entre as teorias embaralhadas, especulava-se a morte acidental da menina às mãos dos pais, Kate e Gerry McCann, ideia que o inspector português que conduziu o caso, Gonçalo Amaral, defendeu com unhas e dentes.

Amaral chegou a publicar um livro com suas hipóteses e o conflito com os pais de Maddie acabou na Justiça.

O CASO MAIS MÍDIA

Maddie’s é o desaparecimento mais mediático de um menor conhecido até à data e trouxe dezenas de jornalistas de todos os cantos do mundo a um pacato complexo turístico algarvio.

Gerry e Kate McCann contrataram uma pessoa para lidar com a mídia.  EFE/Mario Cruz/Arquivo
Gerry e Kate McCann contrataram uma pessoa para lidar com a mídia. EFE/Mario Cruz/Arquivo

“Dominou a mídia quase como a guerra na Ucrânia hoje”, diz Godinho.

Os McCann, recebidos pelo Papa Bento XVI menos de um mês após o desaparecimento, contrataram imediatamente uma equipe de relações públicas para administrar o acordo com a imprensa.

O caso já atuou em inúmeros filmes, séries, documentários e livros com diferentes teorias.

Com os últimos avanços judiciais, a verdade pode estar mais próxima do que nunca.

(com informações da EFE)

CONTINUE LENDO:

Um alemão com antecedentes foi oficialmente declarado suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann
Conversas perturbadoras reveladas pelo principal suspeito do rapto de Madeleine McCann
Investigadores descobriram ‘evidências chocantes’ contra principal suspeito do sequestro de Madeleine McCann
A reação dos pais de Madeleine McCann ao saber do resgate da pequena Cleo Smith

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.