O Conselho Aragonês de Câmaras apela a investimentos em infraestrutura ferroviária nos Pirenéus Centrais

A conferência ‘A ligação das regiões na Europa: desafios e instrumentos’, realizada esta sexta-feira, contou com a presença do presidente do Conselho de Câmaras aragonês, Manuel Rodríguez Chesa, que explicou que as ligações ferroviárias internacionais “são imprescindíveis para o desenvolvimento de todo o potencial logístico, a competitividade do tecido produtivo autônomo e a atratividade da região para atrair novos investimentos”.

Este evento, promovido pela Câmara de Espanha e organizado pela Câmara de Saragoça, contou com a participação de Corredores.eu, Mobility City e Fundação Ibercaja.

Rodríguez Chesa destacou que, além disso, as conexões transfronteiriças através de Aragão não são apenas necessárias para a própria região, mas devem considerados essenciais para o transporteprincipalmente mercadorias, da Espanha e da Europa, indicaram da Câmara de Zaragoza em um comunicado de imprensa.

Assim, a localização geográfica de Aragão deve convertê-la, com as infra-estruturas adequadas, “em centro logístico do sul da Europa“, articulando o transporte intermodal de mercadorias entre, por um lado, o Golfo da Biscaia e o Mediterrâneo, e, por outro, os principais portos do sul da Europa (Sines em Portugal e Algeciras em Espanha) e o centro e norte de da União Europeia, ligando parte do tráfego intercontinental na União Europeia.

O Conselho de Câmaras aragonês considera que é o hora certa para planejar o layout que a Travessia Central dos Pirenéus (TCP) deve ter e quantificar o orçamento necessário para modernizar a ligação espanhola com a França, bem como promover a nova ALIANÇA ‘corredores.eu’, onde todas as iniciativas que favorecem a transferência do transporte de mercadorias apoiam-se no caminho-de-ferro, na melhoria das infra-estruturas ferroviárias e no aumento das ligações da Península Ibérica com a Europa.

O TCP, que se incluiu entre os eixos prioritários da Rede Transeuropeia de Transportes no chamado Eixo 16 (Sines/Algeciras-Madrid-Paris), permitiria dar um impulso multiplicador ao tráfego ferroviário de mercadorias através de um -nível e grande capacidade de túnel na parte central dos Pirinéus.

Por todas estas razões, o Conselho de Câmaras aragonês apresentou uma declaração em que solicita a construção urgente do Corredor Ferroviário Central da Península Ibérica com ligação à Europa através de um túnel de baixo nível através dos Pirinéus Centrais.

Desenvolvimento do dia

Também participaram da conferência, na qual participaram Rafael López Guarga, decano da Demarcação de Aragão do Colégio de Engenheiros Civis, Canais e Portos, e Beatriz Marín, secretária da Comissão de Assuntos Europeus da Câmara de Comércio Espanhola. , realizaram-se duas mesas redondas sobre «O compromisso para uma Europa conectada» e «Experiências empresariais».

O primeiro debate, moderado pela vice-presidente da Câmara de Saragoça, María López, contou com Isabel García e Pablo Arias, eurodeputados que integram a Comissão de Transportes e Turismo; enquanto a segunda mesa, moderada por Salvador Galve, decano da Associação Oficial de Engenheiros Industriais de Aragão e La Rioja (Coiar), foi liderada por Daniel Larriba, diretor de Logística do Grupo Samca, e Ramón Adé, gerente do Terminal Marítimo de Saragoça.

comentários0WhatsappFacebookFacebookTwitterTwitterLinkedInlinkedin

Miranda Pearson

"Organizador. Introvertido. Fanático certificado pela internet. Beeraholic. Fã de álcool irritantemente humilde."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *