Manolo ‘o do hype’ de volta a Huesca, “minha casa”

Manolo Cáceres Artesero, o popular Manolo ‘el del bombo’, está de volta a Huesca, que ele considera ser sua casa. Nascido há 73 anos em San Carlos del Valle, povoado da província de Ciudad Real cujo pavilhão esportivo leva seu nome, cresceu na capital Huesca, onde dirigiu vários negócios, onde nasceram seus quatro filhos, onde ainda tem uma família. “Venho de três em três ou quatro anos”, confessa às portas do Hotel Abba, depois de receber na segunda-feira a selecção espanhola de sub-21, que vai torcer amanhã no duelo amigável contra a Noruega a partir das 18h30. “Poderia ter ido estar com o absoluto em Portugal, mas jogando os sub-21 aqui não podia falhar”afirma, referindo-se também ao importante cruzamento na Liga das Nações que os homens de Luis Enrique devem enfrentar com a equipa portuguesa.

El Alcoraz foi o primeiro estande em que o som de seu bumbo e seus jaleos começou a ser ouvido. Mais tarde, ele também iria para La Romareda e começaria sua jornada com a seleção antes de se estabelecer em Valência. Vestido, não só com o instrumento de percussão, mas também com um cachirulo e uma boina, Esteve presente em dez Mundiais, sete Campeonatos da Europa e quase 400 jogos internacionais.

A partida contra a Noruega vai ser “muito especial” para ele. Você vai encontrar um estádio muito mudado desde suas origens e até mesmo aquele em que pisou em 2003, quando também acompanhou La Rojita em sua visita anterior a Huesca. “Desde as últimas reformas só pude ver na televisão, a verdade é que eles deixaram muito bem e parece que as pessoas estão torcendo por isso”, diz ele.

O duelo de sábado em Saragoça contra a Suíça e o jogo de amanhã Sub-21 serviram para o trazer de volta a Aragão, onde “se diverte muito”. Em La Romareda o carinho dos torcedores por ele era evidente, “eles cantaram para mim e me fizeram chorar”. A pena foi a derrota, “mas o futebol ainda é um jogo em que você tem que jogar bem, que a sorte sorri para você e que o outro time não tem o seu dia”. Em Huesca, “que é o melhor para mim”, espera “ver um bom jogo e que o público se divirta”.

Raven Carlson

"Viciado em bacon apaixonado. Ninja orgulhoso da cultura pop. Analista irritantemente humilde. Entusiasta de TV. Fã de viagens ao longo da vida."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *