Uma lenda de Portugal pediu um autógrafo a Messi: “Só vi dois jogadores melhores do que eu”

A lenda do futebol português pediu ao craque argentino que assinasse uma carta

Um dia muito especial foi vivido no estádio dar luzA casa de benfica De Portugal. Para uma nova jornada da fase de grupos da Liga dos Campeõesa psg do Lionel Messi visitou As águias. Foi um jogo cheio de emoções, em que A pulga Ele fez uma grande conquista, mas também disparou os alarmes porque teve que ser substituído do campo devido a um incômodo.

Mas antes da ação, os torcedores puderam presenciar um encontro muito particular na entrada da área onde os jogadores se dirigem aos vestiários. A lenda do futebol português Paulo Futre, que deixou sua marca na história do Atlético de Madrid, viu o camisa 30 do Paris Saint Germain e não pôde deixar de cumprimentá-lo.

No cruzamento, captado pelas câmeras de TV, é possível ver o abraço que Futre dá a Messi. E depois de trocar algumas palavras, o ex-atacante português pede que ele dê um autógrafo na camisa do time aletio clube que o tem como um dos ídolos de sua história.

Terminada a partida, foi o próprio ex-jogador, que era comentarista da transmissão oficial em seu país da partida da Liga dos Campeões, que aproveitou suas redes para contar como foi aquele momento e também deixou uma lembrança de Diego Maradona .

Futebol Futebol – Liga dos Campeões – Grupo H – Benfica x Paris St Germain – Estádio da Luz, Lisboa, Portugal – 5 de outubro de 2022 Lionel Messi, do Paris St Germain, reage REUTERS/Pedro Nunes

“Modéstia à parte, só vi dois canhotos que pareciam muito melhores do que eu. os dois argentinos Diego Maradona foi o único jogador que pedi autógrafo para mimquando dividimos um time na Seleção Mundial em 87. Hoje pedi o segundo a Leo Messi”, escreveu o futebolista que despontou no Sporting de Lisboa, mas que viveu os seus melhores anos na equipa de Madrid.

De salientar que Futre sagrou-se campeão da Taça dos Campeões Europeus de 1987 juntamente com o Porto. Isso lhe rendeu o segundo lugar na votação da Bola de Ouro daquela temporada, que ficou nas mãos do holandês Ruud Gullit (PSV Eindhoven/Milan). Em seus seis anos no Atlético de Madrid, o português se consagrou duas vezes na Copa do Rei, uma delas derrotando seu eterno rival, o Real Madrid, em uma final bem lembrada.

Para além deste caloroso encontro, Messi voltou a ser protagonista de um encontro fundamental para o futuro da equipa parisiense na mais alta competição de futebol da Europa. Aos 22 minutos, o craque rosário abriu de pé esquerdo e envolveu a bola para levar para o canto superior direito do goleiro Odysseas, após passe livre do amigo Neymar.

Após 80 minutos em alto nível, em jogo ele sentiu um desconforto e o coração de todos parou. Ao enfrentar o gol, parecia faltar-lhe a faísca para completar a ação e o chute. Ele foi imediatamente substituído pelo técnico Christophe Galtier e, na largada, La Pulga sussurrou algo em seu ouvido. Diante desse cenário, será preciso ver se essa situação o impede de jogar no próximo sábado, contra o Reims, pela Ligue 1, torneio da França.

Futre, uma lenda do Atlético de Madrid (REUTERS/Juan Medina)
Futre, uma lenda do Atlético de Madrid (REUTERS/Juan Medina)

CONTINUE LENDO:

Darcy Franklin

"Amante da TV. Ninja da música. Fanático por viagens amador. Fã de bacon. Evangelista de comida amigável. Organizador freelance. Fanático certificado pelo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *