Um pequeno Portugal onde os adultos se divertem – SALAMANCArtv AL DÍA

“É tudo pequeno para nós, mas grande para as crianças, e é tudo verdade”. Esta frase de Bissaya Barreto, promotora de Portugal dois pequeninosilustra o espírito daquele que foi o primeiro parque temático português (1940), um espaço lúdico-educativo localizado na Coimbrana outra margem do rio Mondego, junto ao antigo convento de Santa Clara e à Quinta das Lágrimas.

Mas Portugal dois pequeninos É algo diferente de um parque temático contemporâneo, nele sobrevive a essência didática com que foi concebido.

Visitamos este jardim de construções em miniatura em uma tarde de outono com o claro-escuro típico da estação. É um espaço ao ar livre, com missão expositiva e educativa na arquitectura tradicional das várias regiões continentais e insulares portuguesas, bem como na arquitectura e costumes típicos dos países onde Portugal teve uma presença importante.

Essa obra de entretenimento deve ser compreendida na época em que foi criada. o Portugal dois pequeninos foi construído entre o final dos anos 30 e o final dos anos 50 do século passadoou seja, em pleno vigor do novo estado.

A essência educativa do parque vai ao encontro dos postulados nacionalistas e ruralistas do regime, que viam favoravelmente mostrar e exaltar a identidade de cada uma das regiões portuguesas, bem como a influência da cultura portuguesa no mundo.

Portugal dois pequeninos Ele é projetado muito particularmente para o prazer das crianças. Projetado em escala reduzida, o entretenimento é mostrado adaptado ao seu tamanho. Entrar e sair das casas, no moinho, no curral, na igreja ou no palácio é divertido, é brincar de viver o país por dentro. Além disso, este jogo é jogado com exclusão dos adultos, que não cabem na maioria dos espaços.

No entanto, os adultos provavelmente gostam duas vezes mais, para si e contagiados pela alegria dos pequenos. Eles podem descubra a tipologia construtiva de cada zona do país, a história dos descobrimentos portugueses ou todos os estilos arquitetónicos presentes nos seus monumentos, além da influência de reis e rainhas. Neste parque, jovens e velhos têm licença para serem surpreendidos quando crianças.

Atravesse os portões de Portugal dois pequeninos é entrar plenamente na ‘portugalidade’ e, após o seu passeio, teremos recebido uma aula de geografia, história e arquitectura portuguesas.

Casas, cores e provérbios

Sabemos que chegamos Portugal dois pequeninos porque sua fachada ingênua evoca uma mansão de conto de fadas, com a estátua de duas sentinelas nos recebendo com fanfarras.

Um pequeno Portugal onde os adultos se divertem |  Imagem 2Está disponível uma aplicação que sugere um roteiro de visita e oferece algumas explicações sobre os mais de 100 pontos de interesse existentes. As locuções são oferecidas em português e inglês.

Ao entrar pela porta, a primeira coisa que nos é oferecida é um passeio pelos países que compõem o mundo lusófono: imagens de dragões, máscaras, vegetação exótica, geometrias únicas, telhados orientais,? as cores de Guiné-Bissau, Macau, Brasil ou Timor Eles estão representados em seus pavilhões correspondentes.

Os portugueses aventuraram-se em todos os oceanos. Vamos do Atlântico ao Índico e voltamos ao Atlântico para descobrir os Açores e a Madeira. Um ótimo mapa mundial indica as viagens que marcaram o carácter português de muitos territórios, conduzidas pelo Infante D. Henrique, “o Navegador”, no século XV.

Continuamos com um passeio pela monumentalidade dos edifícios religiosos e civis, exemplos da arquitetura românica, manuelina -o gótico tardio português- ou renascentista. o Mosteiro dos Jerónimos em Lisboaa Convento de Cristo de Tomar aceno Universidade de Coimbra estão representados aqui.

o Museu do Traje, Marinha e Mobiliário estão localizados dentro desta área monumental. Todas as suas peças são miniaturas.

Um pequeno Portugal onde os adultos se divertem |  Imagem 3Mas está além quando entramos numa verdadeira aldeia portuguesauma espécie de Vila Sésamo onde estão representados todos os estilos arquitetônicos da construção doméstica, condicionados pelo clima, pela geomorfologia e pelas atividades econômicas de cada região.

A casa típica da serra alentejana; a antiga casa de Trás os Montes; a casa de xisto no pinhal interior, construída com lousa e rolos de rio; uma casa senhorial típica do Minho; a casa no algarve, de influência árabe; a dos pescadores da Nazaré; uma casa nobre em Lisboa no meio de uma rua com a característica calçada lisboeta; a rica casa da Beira Alta, de granito, de porte aristocrático; a casa de Buarcos, entre a serra e as dunas; a da Beira Baixa, com as suas janelas verdes e amarelas; ou a casa do Caramulo, com fachada revestida de azulejos para se proteger dos ventos gelados dos cumes.

Cada casa regional tem um azulejo com um ditado ou frase de um famoso autor português, com missão moralizadora clara.

Em todos esses espaços, as crianças vão querer entrar, subir as escadas, correr pelo pátio, entrar no curral, abrir a porta do forno comunitário,? Os adultos vão admirar artesanato com que todos os detalhes são construídos: as portadas de madeira entalhada, as treliças de janelas e varandas, a azulejaria, os postes de iluminação ou os azulejos.

Uma cidade portuguesa onde cada casa é diferente e conta uma história, uma geografia, um modo de vida. A área das casas regionais do Portugal dois pequeninos É muito mais do que uma casa de bonecas.

Bissaya Barreto

Médico, professor e humanista, Fernando Bissaya Barreto nasceu em 1886 em Castanheira de Pêra (Leiria) e foi o promotor de Portugal dois pequeninos no final dos anos 30 do século 20. A obra só foi concluída vinte anos depois, embora uma primeira fase, a das casas regionais, tenha sido aberta ao público em 8 de junho de 1940.

Um pequeno Portugal onde os adultos se divertem |  Imagem 4O arquiteto das construções que o parque apresenta foi Cassiano Brancoo outro grande nome próprio do Portugal dois pequeninosque captou com maestria a riqueza arquitetônica do país, com atenção aos detalhes.

Além de professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Bissaya Barreto participou na política regional. Ele se concentrou em melhorar as condições de vida dos habitantes de um Portugal que ainda apresentava grandes desigualdades em seu tempo. Fundou instituições médicas e de assistência social, além de centros de ensino.

Em 1958, junto com um grupo de amigos, criou o Fundação Bissaya Barreto com fundos próprios. Após a sua morte em 1974, a Fundação foi a herdeira universal de todos os seus bens e a continuação do seu trabalho pela educação, saúde e cultura.

Entre os objetivos da Fundação estão “proteção infantil, inovação pedagógica e culto ao conhecimento, beleza e criatividade”. É uma entidade privada de natureza social com caráter de utilidade pública.

serviço educacional

Portugal dois pequeninos tem um espírito pedagógico, orientado para as crianças, educadores e famílias, que desenvolve através Visitas guiadas para grupos escolares, workshops ou formação de professores.

O trabalho educativo dirigido às crianças centra-se em diversas áreas, como a arquitetura, a história ou o ambiente e destina-se a pré-escolares, alunos do ensino básico e secundário.

uma aula de arquitetura pode girar em torno das texturas ou cores dos materiais utilizados na construção, trabalhando com vários sentidos e de diferentes disciplinas, como o desenho, a matemática ou a componente social das cidades.

A filantropia de Fernando Bissaya Barreto teve como foco a dignidade e a felicidade do ser humano, entendendo a vida como um eterno processo de aprendizado. Aprenda brincando, como as crianças aprendem.

  • Um pequeno Portugal onde os adultos se divertem |  Imagem 5289.497 Visitantes anuais, principalmente adultos.
  • 16.963 alunos em visita escolar.
  • 20.005 participantes nas actividades do Serviço Educativo.
  • Algum 140 elementos patrimoniais, distribuídos em 3 áreas temáticas.
  • O mais antigo parque lúdico-pedagógico de Portugal, inaugurado em 1940.
  • O público português constitui o 90% de visitantes. Entre os estrangeiros, os espanhóis são os mais numerosos, os 40%.

Dados da Fundação Bissaya Barreto correspondentes a 2019

Darcy Franklin

"Amante da TV. Ninja da música. Fanático por viagens amador. Fã de bacon. Evangelista de comida amigável. Organizador freelance. Fanático certificado pelo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.