Irapuato aposta na produção de biocombustíveis – El Sol de Irapuato

O Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, em coordenação com o governo municipal, instalará biodigestores em duas comunidades rurais de Irapuato: El Comedero e San Agustín de los Tordos, que serão as primeiras a receber esse apoio.

Esse programa nacional conhecido como Produção de Biocombustíveis para uso rural tem como objetivo converter resíduos agrícolas em combustível e, com isso, otimizar os recursos naturais e tornar essas comunidades autossustentáveis.

Víctor Olalde Portugal, investigador do Centro de Investigação e Estudos Avançados do IPN (Cinvestav), explicou que este projeto consiste em três etapas, começando por um trabalho colaborativo entre várias instituições para consolidar a colocação de Biodigestores.

Escassez de diesel incomoda irapuatenses

“Todos os resíduos que vimos desperdiçados são aproveitados, todos têm energia e o que queremos é retirar através de sistemas chamados biodigestores, para produzir gás e esse gás é utilizado pela comunidade, depois dos resíduos que saem do biodigestor, compostá-los e devolvê-los ao campo”, explicou o pesquisador.

Por sua vez, Lorena Alfaro García, presidente municipal de Irapuato, destacou que este trabalho se soma aos programas promovidos pelo governo municipal que repercutem em ações em prol do meio ambiente e, com isso, Irapuato será uma cidade amiga do meio Ambiente.

“Estamos a promover um projeto de Biogás para as pessoas que vivem nesta comunidade, que estão a trabalhar neste projeto há um ano (…) os resíduos que eles têm, produto da pecuária e da agricultura”, enfatizou.

As etapas deste projeto serão divididas em: A primeira, biogestores de controle ou experimentos serão construídos em algumas Universidades; saber quanto gás eles podem produzir em cada comunidade através da amostra que os moradores fornecem.

Na segunda etapa, serão construídos biodigestores nas comunidades que terão capacidade de 30 metros cúbicos, o equivalente a um botijão de gás de 30 litros por dia.

Enquanto na terceira etapa serão colocados mais biodigestores nas comunidades, isso reduzirá o custo econômico das famílias, diminuirá as doenças respiratórias, além de fazer uso sustentável dos recursos locais.

Assine nossa edição digital

Entre os pesquisadores que participam do projeto estão médicos da Universidade de Guanajuato, Cinvestav, UNAM e do Instituto Tecnológico de Oaxaca.

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.