Fortes incêndios florestais em França, Espanha e Portugal

PARIS (AP) – Ventos fortes e clima quente e seco frustraram os esforços dos bombeiros franceses no sábado para conter um grande incêndio florestal que assolou as florestas de pinheiros na região de Bordeaux pelo quinto dia consecutivo, um dos vários incêndios nas florestas da Europa nesta semana.

Um dos piores incêndios ocorreu em Portugal, onde o piloto de um avião de combate a incêndios morreu na sexta-feira quando seu avião caiu durante uma operação no nordeste do país. Foi a primeira vítima mortal no combate aos incêndios em Portugal até ao momento este ano, que esta semana já deixaram mais de 160 feridos e obrigaram centenas a evacuar.

A temporada de incêndios atingiu partes da Europa mais cedo do que o normal este ano, após uma primavera quente e seca que deixou o solo vulnerável a incêndios que as autoridades atribuem à mudança climática.

À medida que o fogo francês se aproximava de áreas habitadas, algumas das 11.000 pessoas evacuadas na região descreveram medo e incerteza sobre o que encontrariam quando voltassem para casa. Imagens compartilhadas pelos bombeiros mostraram chamas rompendo uma massa de pinheiros e fumaça negra se estendendo pelo horizonte.

Os bombeiros concentraram seus esforços no sábado no uso de caminhões de bombeiros para cercar as aldeias em risco e salvar o maior número possível de casas, disse o supervisor da operação francesa de combate a incêndios, Charles Lafourcade, a repórteres no local.

Cerca de 3.000 bombeiros apoiados por aviões-tanque estavam combatendo as chamas no sul da França, disse o presidente, e a Grécia enviou equipes de combate a incêndios.

Os bombeiros franceses conseguiram durante a noite conter um dos piores incêndios, perto do resort de Arcachon, na costa atlântica, popular entre turistas de toda a Europa, informou o serviço regional de emergência no sábado.

No entanto, ele lamentou que “as condições climáticas adversas” frustrassem os esforços para conter o maior incêndio da região, que começou na cidade de Landiras, ao sul de um vale de vinhedos de Bordeaux. Promotores regionais suspeitam de incêndio criminoso.

Os dois incêndios queimaram pelo menos 9.650 hectares (23.800 acres) de terra nos últimos dias.

Em Portugal, mais de 1.000 bombeiros trabalharam ao lado de cidadãos comuns desesperados para salvar suas casas no sábado, após uma longa semana de combate a vários incêndios em todo o país. As chamas foram alimentadas por temperaturas extremas e condições secas, mais cedo do que o normal no verão.

A televisão estatal portuguesa RTP disse sexta-feira que a área ardida este ano, mais de 30 mil hectares (74 mil acres), já ultrapassou o total para 2021. A maior parte ardeu na semana passada.

Na vizinha Espanha, os bombeiros lutavam para conter vários incêndios, incluindo dois que queimaram cerca de 7.400 hectares (18.200 acres).

No sul da Andaluzia, 3.000 pessoas foram evacuadas de localidades em perigo de incêndios que começaram perto da localidade de Mijas, na província de Málaga. Cerca de 200 bombeiros apoiados por 18 aviões tentavam conter o fogo. As autoridades estavam investigando sua causa.

Pelo sexto dia, os bombeiros também tentavam controlar um incêndio causado por um raio na zona centro-oeste de Las Hurdes. Cerca de 400 pessoas de oito aldeias foram evacuadas na sexta-feira quando as chamas se aproximaram de suas casas e ameaçaram se espalhar para o vizinho Parque Nacional Monfragüe.

Croácia e Hungria também lutaram contra incêndios florestais esta semana.

Muitos países europeus estão enfrentando um calor excepcional neste mês, que também é atribuído às mudanças climáticas.

As mortes relacionadas à temperatura aumentaram na Espanha nesta semana em meio a uma onda de calor que manteve as temperaturas máximas acima de 40 graus Celsius (104 graus Fahrenheit) em muitas áreas. De acordo com o Instituto Carlos III da Espanha, que registra diariamente as mortes relacionadas à temperatura, 237 mortes foram atribuídas a altas temperaturas entre 10 e 14 de julho. Esse número se compara a 25 mortes relacionadas à temperatura na semana anterior.

As autoridades portuguesas disseram que um recorde nacional de julho de 47 graus Celsius (117 F) atingiu a cidade de Pinhão, no norte, na quarta-feira.

A agência meteorológica britânica Met Office emitiu seu primeiro “alerta vermelho” de calor extremo para segunda e terça-feira, quando as temperaturas no sul da Inglaterra devem atingir 40 graus Celsius (104 F) pela primeira vez.

O governo britânico realizou uma reunião de resposta de emergência no sábado em resposta às altas temperaturas. As autoridades alertaram as pessoas no Reino Unido para não viajarem, a menos que seja absolutamente necessário, e escolas e lares de idosos foram instruídos a tomar precauções extras.

Na Turquia, palco de incêndios florestais devastadores no verão passado, a mídia local informou sobre incêndios na província ocidental de Izmir e em Hatay, entre o Mar Mediterrâneo e a fronteira com a Síria. Helicópteros, aviões e centenas de bombeiros combateram as chamas.

___

Wilson reportou do Barcelona. Danica Kirka em Londres e Andrew Wilks em Istambul contribuíram para este relatório.

Darcy Franklin

"Amante da TV. Ninja da música. Fanático por viagens amador. Fã de bacon. Evangelista de comida amigável. Organizador freelance. Fanático certificado pelo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *