Estas são as notícias mais importantes de 13 de outubro de 2022

A vice-presidente da Nicarágua, Rosario Murillo, e outros 20 funcionários do regime nicaraguense continuarão a ser punidos pela União Europeia até outubro de 2023.

Esta quinta-feira, o Conselho da União Europeia prorrogou por mais um ano as restrições a estas pessoas acusadas de serem “responsáveis ​​por graves violações dos direitos humanos, reprimindo a sociedade civil e a oposição” e “por minar a democracia e o Estado de direito”.

As sanções foram impostas pela primeira vez em maio de 2020 e, nos últimos anos, a lista dos punidos foi ampliada.

Artigo relacionado: Daniel Ortega demite dois diretores do Supremo Tribunal de Justiça

Até o momento, também é formado pelos filhos do casal presidencial Camila, Laureano e Juan Carlos Ortega Murillo, do assessor presidencial Bayardo Arce; os chefes da Polícia, Fidel Domínguez e Juan Valle Valle, bem como os chefes da Assembleia Nacional, do Supremo Tribunal de Justiça e do Ministério Público.

A União Europeia deixou claro que esta medida ocorre após a decisão do regime de Daniel Ortega de expulsar a chefe da delegação do bloco europeu, Bettina Muscheidt, da Nicarágua e cortar relações diplomáticas com o Reino dos Países Baixos, o que fez com que os europeus declarar a embaixadora de Ortega na União Europeia, Zoila Müller, “non grata”.

O governo Ortega Murillo estima que as perdas causadas pelo ciclone Julia na Nicarágua estejam entre 160 e 200 milhões de dólares. A informação foi assegurada a representantes das agências das Nações Unidas durante reunião realizada na tarde de quarta-feira no Itamaraty.

O ministro das Finanças, Iván Acosta, afirmou perante os cooperadores que os danos se verificaram, principalmente, na infra-estrutura de algumas obras como estradas, casas, sistema de transmissão eléctrica, entre outras.

Artigo relacionado: Paris reitera sua “preocupação” com a prisão de dois cidadãos franceses na Nicarágua

o prisioneiro político e presidente da União Democrática Renovadora (Unamos), Suyen Barahona, recebeu o “Prêmio Direitos Humanos” concedido pela Aliança Progressista. O prêmio é um reconhecimento de seus méritos como defensora dos direitos humanos e lutadora política pela democracia, informou Unamos em suas redes sociais.

Os opositores expressaram que isso “é um reconhecimento de seu presidente e de todos os presos políticos que fizeram da prisão a primeira trincheira de resistência cívica e denúncia contra a ditadura de Ortega Murillo”.

O presidente ilegítimo, Daniel Ortega, nomeou Sylvia Celina Miranda Paniagua como sua nova embaixadora junto do Governo de Portugal, como concorrente, com sede em Paris.

Miranda Paniagua, atual embaixadora da Nicarágua na França, foi encarregada de negócios na Grécia e ministra-conselheira junto à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), com sede em Paris.

Por meio de outro acordo presidencial publicado em La Gaceta, o presidente sandinista anulou a nomeação de Guisell Socorro Morales Echaverry como embaixador concorrente em Portugal.

Joseph Salvage

"Fanático hardcore de mídia social. Propenso a ataques de apatia. Criador. Pensador. Guru dedicado da web. Aficionado por cultura pop. Solucionador de problemas."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *