Argentina sedia o VIII Encontro Ibero-Americano de Escolas e Institutos de Administração Pública

Com a presença de delegações de 17 países presencialmente e 4 em modo remoto, o VIII Encontro Ibero-Americano de Escolas e Institutos de Administração Públicaorganizado pelo Centro Latino-Americano de Administração para o Desenvolvimento (CLAD) e a Secretaria de Gestão e Emprego Público da Sede de Ministros da Naçãocom o apoio de Instituto Nacional de Administração Pública da Espanha e do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

A reunião foi aberta por Ana CastellaniSecretário de Gestão e Emprego Público da Nação, que expressou que “a reflexão e a possibilidade de compartilhar experiências diversas permite a elaboração de critérios comuns para que as Administrações Públicas trabalhem de forma colaborativa”.

Castellani destacou o papel da formação e educação dos agentes públicos como fator fundamental para o fortalecimento das capacidades estatais. “Para ter um Estado a serviço do desenvolvimento do país, devemos trabalhar para fortalecer as capacidades do Estado”, disse.

Por sua vez, Francisco Javier Velázquez LopezO secretário-geral do CLAD destacou a importância de “aproveitar o encontro para compartilhar experiências, compartilhar conquistas e realizar intercâmbios entre escolas de todos os países reunidos”.

Integraram a mesa inaugural da Conferência, Consuelo Sanchez NaranjoDiretor do INAP da Espanha; Mauro SolanoDiretor do INAP Argentina e Christian AsinelliVice-presidente de Programação Estratégica do CAF, Banco de Desenvolvimento da América Latina.

“Esta reunião é um compromisso que busca dar à formação e aprendizagem das Administrações Públicas a importância e a relevância que merecem”, disse Mauro Solano, diretor do INAP Argentina, enquanto Christian Asinelli destacou o compromisso do CAF em melhorar a qualidade da política e sua vocação para o público.

O empenho e a inovação como componentes fundamentais da aprendizagem e formação nas Administrações Públicas para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos foram expressões partilhadas pelos expositores.

Próximo, louis herreraConsultor da CLAD, fez uma palestra sobre Metodologias de Aprendizagem baseadas no trabalho em equipe e na resolução de problemas, onde sublinhou a necessidade de as instituições -especialmente as responsáveis ​​pela gestão de assuntos públicos- se adaptarem a modalidades de trabalho colaborativo e criativo, que promovam o pensamento crítico e estimulem a comunicação .

Encerrando as atividades da manhã, foi realizado um debate com um painel composto por oscar oszlackMembro do Conselho Científico do CLAD e Investigador Sénior da Área de Gestão Política e Pública do Centro de Estudos do Estado e da Sociedade (CEDES), Marcelo LeirasProfessor Associado do Departamento de Ciências Sociais da Universidade de San Andrés e Pesquisador Independente do Conicet e Mabel Thwaites ReiProfessor titular de Sociologia Política e Administração e Políticas Públicas, na Carreira de Ciência Política da UBA, coordenado por Ana Castellani.

O intercâmbio entre acadêmicos buscou problematizar as continuidades e rupturas na configuração das administrações públicas nos últimos anos; as capacidades que precisam ser desenvolvidas; a papel do emprego público como fator e componente chave para fortalecer as capacidades do Estado e a forma como o Estado deve se preparar para enfrentar os desafios do futuro. Nesse sentido, destacou-se a necessidade de consolidar a coesão política por meio da construção de um consenso robusto entre os partidos políticos; a necessidade de valorizar e tornar visível o saber-fazer dos servidores públicos e a importância de valorizar o aparato burocrático. A este respeito, afirmou-se que para levar a cabo estas propostas é necessária a coordenação, o que constitui um desafio fundamental.

Após o meio-dia, foram realizados sucessivos painéis para troca de experiências entre os países participantes (presencial e à distância). As delegações presentes na Conferência correspondem a Espanha, Uruguai, Peru, Portugal, Bolívia, Guatemala, Paraguai, El Salvador, Brasil, Costa Rica, Chile, Equador, Cuba, Guiné Equatorial e República Dominicana. Na modalidade virtual, participaram dos painéis de referência da Angola, Colômbia, México e Panamá. As organizações internacionais que compuseram o último dos painéis foram Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU e a OCDE.

A Argentina mantém uma participação ativa nas propostas realizadas pelo Centro Latino-Americano de Administração para o Desenvolvimento (CLAD), com o objetivo de fortalecer as capacidades do Estado, introduzindo melhorias na qualidade da gestão por meio da atuação dos servidores públicos e do intercâmbio de experiências semelhantes. Capitalizar as experiências das administrações públicas da região contribui para a produção de conhecimento sobre a função pública e para a construção de um Estado estratégico.

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.