Mini-detetives antárticos procuram pistas do Continente Branco em Punta Arenas

Punta Arenas, 27 de julho de 2022.- Quase quarenta meninos e meninas de Punta Arenas participaram do workshop presencial gratuito “Detetives Antárticos: Que pistas o Continente Branco deixou em Punta Arenas?” organizado na semana passada pelo Instituto Antártico Chileno (INACH) que busca aproximar as questões polares dos escolares da cidade do sul.

Dois dias de aprendizado divertido foram realizados: no primeiro deles, eles aprenderam informações gerais sobre a Antártida e sobre como era esse continente há milhões de anos, quando havia temperaturas mais quentes que permitiam a existência de florestas verdes e enormes por onde os dinossauros se moviam . e mamíferos pré-históricos. Também puderam conhecer as espécies que habitam atualmente este território e visitaram os aquários Antárticos do INACH.

No dia seguinte, eles aprenderam sobre a história polar. Através da narrativa do livro “Isa e Miguel: O Dragão de Valparaíso descobre a Antártica” eles conheceram parte da vida do Capitão Andrew MacFarlane, que liderou a expedição que fez o primeiro desembarque na Península Antártica em 1820, quando foram caçar lobos marinhos e focas, mas chegaram a uma parte do território que não havia sido descoberta. Mais tarde e através do livro infantil “A Odisseia Antártica”, eles conheceram a história de Sir Ernest Shackleton, o náufrago Resistência e a heróica missão de resgate comandada pelo piloto Luis Pardo Villalón a bordo do Cutter da Guarda Costeira Yelcho em 30 de agosto de 1916.

Como culminação do workshop, enquadrado na iniciativa programática do Centro Antártico Internacional, foi realizada uma “caça ao tesouro” pelo centro da cidade e pela avenida Costanera del Estrecho inspirada em alguns marcos históricos que aparecem dentro do guia “Pegadas Antárticas em Punta Arenas e o Estreito de Magalhães” (disponível para download em www.inach.cl), onde puderam não só mergulhar na história de Shackleton e Pardo, mas também conhecer outros exploradores antárticos que passaram por Punta Arenas, como Adrien de Gerlache, Jean Baptiste Charcot, Roald Amundsen e Robert Falcon Scott. No final do passeio, um explorador antártico os esperava com seu tesouro: um conjunto de presentes com publicações e atividades educativas do INACH.

As crianças que participaram da oficina destacaram o que aprenderam nos dois dias. Javier Herrera, que está na terceira série do Colegio Cruz del Sur, comentou: “O que mais me chamou a atenção foi que a Antártica tinha florestas, muita vegetação e havia dinossauros, eu não sabia que havia dinossauros e achava que tinha sempre foi frio, mas com este workshop percebi que não é.”

Bastián Oval, aluno do segundo ano do Liceo San José, menciona que o que mais gostou foi “a caminhada que fizemos para encontrar o tesouro, aprendi sobre muitos exploradores antárticos, também aprendi mais sobre os pinguins e outros animais que vivem na Antártida. ”

Martín Varela, que está no terceiro ano da Escola Portugal, frequentou na companhia da sua irmã Javiera e salientou com muito entusiasmo que tudo foi “super, gostamos de tudo, quero continuar a aprender sobre a Antártida”.

Constanza Mendoza, tia de Millan Emmott, achou que essa instância foi muito útil, pois “eu o vi super entusiasmado, ele gosta muito de pesquisa e ciência, participa de outras instâncias como Explora e sua mãe e seu pai decidiram matriculá-lo, então ele está muito motivado para continuar aprendendo sobre a Antártida.” Ele acrescentou: “Gostei muito das atividades, pintando e procurando o tesouro”.

“Eu a vi muito ansiosa, ela queria participar da oficina, ela adora participar dessas atividades. Acho ótimo que as crianças possam aprender sobre a Antártica, tudo isso as ajuda, através dessas atividades divertidas que elas podem aprender e compartilhar com outras crianças que têm os mesmos interesses “, diz María Valenzuela, avó de Victoria Martínez.

Para Camila Sánchez, mãe de Agustina Bachmann, é fundamental que as crianças possam continuar aprendendo sobre a Antártida, pois “faz parte da nossa cultura, da nossa história regional, por isso é importante que essas instâncias educativas sejam dadas aos nossos pequenos . Espero que eles possam continuar fazendo essas atividades e que mais meninos e meninas possam ter a oportunidade de participar”, disse ela.

Visita educativa a laboratórios

Na mesma semana, foi organizada uma visita educativa ao edifício do laboratório do INACH por um grupo de mais de quarenta pessoas, incluindo crianças e adolescentes, na companhia dos seus pais e encarregados de educação pertencentes ao Serviço Nacional de Protecção Especializada da Criança e do Adolescente, Infância Melhor, instituição que depende do Ministério do Desenvolvimento Social e Família. Vale ressaltar que os participantes não vieram apenas de Punta Arenas, já que o programa regional beneficia participantes de diferentes comunas e localidades.

Os participantes puderam conhecer o trabalho científico realizado pelo INACH, bem como os fósseis da coleção paleontológica encontrados naqueles laboratórios e que explicam a ligação entre a América do Sul e a Antártida. Eles também puderam visitar os aquários com espécies antárticas vivas e aprender sobre a fauna marinha antártica que atualmente habita o Oceano Antártico. Um ponto a ser observado é que esta foi uma instância onde foram apresentados diferentes temas educacionais que serão abordados pelo Centro Antártico Internacional na região de entrada para o Continente Branco.

Em suma, foram férias de inverno muito divertidas, onde diferentes grupos de alunos puderam aprender sobre a Antártida.

O INACH é um órgão técnico do Ministério das Relações Exteriores com total autonomia em tudo relacionado a assuntos antárticos de natureza científica, tecnológica e de divulgação. O INACH cumpre a Política Nacional Antártica incentivando o desenvolvimento de pesquisas de excelência, participando efetivamente do Sistema do Tratado Antártico e fóruns relacionados, fortalecendo Magallanes como porta de entrada para o Continente Branco e realizando ações para disseminar o conhecimento antártico entre os cidadãos. .

Eloise Schuman

"Fã de café. Especialista em viagens freelance. Pensador orgulhoso. Criador profissional. Organizador certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.