Hackers atacam grupo de comunicação social português e encerram os seus sites

Um dos maiores conglomerados de mídia de Portugal anunciou que um grupo que se autodenomina “Lapsus$” invadiu seus serviços online, desativou alguns de seus sites mais populares e entrou em contato com seus assinantes. (ESPECIAL)

Um dos maiores conglomerados de mídia de Portugal anunciou que um grupo que se autodenomina “Lapsus$” invadiu seus serviços online, desativou alguns de seus sites mais populares e entrou em contato com seus assinantes.

O Grupo Impresa explicou que o ciberataque visava interromper os serviços da empresa e enviar mensagens com notícias falsas aos seus assinantes, incluindo uma que dizia “Última hora: presidente demitido e acusado de homicídio: Lapsus$ é o novo presidente de Portugal”.

Os hackers não exigiram nenhum pagamento, disse a empresa em comunicado.

Os hackers acessaram a conta Amazon Web Services da empresa e enviaram e-mails e mensagens de texto para seus assinantes, acrescentou a nota.

Além disso, acederam a outros dados de assinantes, mas a Impresa salientou que não há provas de que tenham obtido as suas palavras-passe ou dados bancários.

O ataque ocorreu na madrugada de 2 de janeiro, informou a empresa, acrescentando que recuperou o controle de seus serviços em nuvem no final do dia, embora na quinta-feira, dois dos seus principais sites – o do semanário Expresso e os dos canais de televisão da cadeia SIC — continuou a utilizar sites temporários.

O incidente está sendo investigado pela polícia e pelo Centro Nacional de Segurança Cibernética.

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.