Um livro reúne pela primeira vez a obra de Machado inspirada e escrita em Soria

O escritor e professor César Ibáñez París foi o responsável pela elaboração desta obra que reúne pela primeira vez todos os poemas, prosas, recortes de imprensa, cartas pessoais e outros textos de Antonio Machado referentes à província de Soria.

Com o título ‘Você vai comigo, meu coração leva você. Páginas de Soria de Antonio Machado’ coloca à disposição dos leitores a primeira obra que inclui toda a produção do grande poeta relacionada a Soria. Todos conhecem a relação de Antonio Machado com a cidade e a província, baseada em três colunas principais: cinco cursos como professor de francês em seu instituto; o amor trágico na bela e delicada figura de Leonor Izquierdo; e a poesia, cada vez mais afastada do modernismo e do simbolismo, de ‘Campos de Castilla’.

Menos conhecidos são os poemas posteriores, as cartas e as obras em prosa de grande relevância, em que é evidente o mundo de ideias que borbulhava na cabeça do poeta durante a sua passagem por Soria, próximo dos de outros membros da sua geração, em particular Unamuno . , bem como a estreita relação de Antonio Machado com os jornais locais. A coleção é completada por uma seleção de recortes de imprensa que evidenciam a fidelidade e precisão com que a relação Machado-Soria entre 1907 e 1932 pode ser acompanhada na imprensa da época. O livro abre com um magnífico prólogo de Gerardo Diego, gentilmente cedido pelos herdeiros dele.

A obra, que estará nas livrarias esta semana, será apresentada pela primeira vez no dia 1 de agosto, às 13h00, na Pista Alameda, no âmbito das atividades organizadas para a Expoesía. Da mesma forma, o compilador estará assinando cópias no estande da editora no sábado, 6 de agosto, às 18h.

o autor e sua obra

César Ibáñez Paris, nascido em Zaragoza em 1963 e natural de Soria há trinta anos, publicou oito coletâneas de poemas: ‘A Máscara Branca’ (Prêmio Gerardo Diego do Conselho Provincial de Soria), ‘Intemperies’ (Prêmio Anjo Martínez Baigorri de Lodosa) , ‘Cántaro e outros Limites’ (Prémio Isabel de Portugal do Conselho Provincial de Saragoça), ‘Eglogas invernales’ (Prémio Voces del Chamamé), ‘Los desenvolve’ (Prémio Alonso de Ercilla), ‘Inverno ou luz’ (Prémio Aurelio Guirao ), ‘The route de la sed’ (Prémio Blas de Otero em Bilbau), ‘Conjugar’ (Prémio Miguel Labordeta do Governo de Aragão) e ‘Savia y volar’ (Lastura, 2020); bem como a antologia bilingue -espanhol e galego- ‘Llamas noche a los giros del vals’ (Lastura, 2013).

Os romances ‘Os frutos caídos’ (Umbriel, 2004), ‘A caverna dos dez enigmas’ (Everest, 2008, prêmio Avelino Hernández da Câmara Municipal de Soria) e ‘Onde vivem os mortos’ (Tandaia, 2016). O livro de contos ‘As árvores de Petia’ (Lastura, 2017) foi selecionado para o prêmio Gabriel García Márquez na Colômbia. No campo da microliteratura, ganhou o XXII Prêmio Juana Santacruz do espanhol Ateneo de México (2014) e o prêmio Ritratti di poesia.140 (2017) em Roma.

Miranda Pearson

"Organizador. Introvertido. Fanático certificado pela internet. Beeraholic. Fã de álcool irritantemente humilde."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.