“Todos os portugueses vão fazer um esforço para não adoecer este verão”

Correspondente em Lisboa

Atualizada:

Salvar

A situação nas Urgências dos hospitais em Portugal continua a agravar-se e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousaa única coisa que lhe ocorre é declarar: «Cada português fará uma esforço para não ficar doente neste verão».

As palavras levantaram controvérsiaestupor e indignação entre os vizinhos ibéricos, que não dão crédito a tal gafe de uma figura chave no organigrama lusitano, uma vez que é de realçar que é o chefe de Estado.

“Os cidadãos precisam evitar adoecer para Não pressione para o Sistema Nacional de Saúde», acrescentou aquando da abertura de uma exposição em Belém, junto ao palácio presidencial. Para Rebelo de Sousa, estamos perante um «óbviomas às vezes o óbvio também deve ser lembrado».

Suas expressões polêmicas vêm após o diretor geral de Saúde, Graça Freitastambém afirmou de forma inusitada: «A pior coisa que pode acontecer a nós portugueses neste verão é adoecer ou sofrer um acidente em agosto».

A Nº 2 do Ministério da Saúde junta-se assim à cadeia de bobagem verbal vividas em Portugal nas últimas 24 horas, assim como Emergências obstétricas e ginecológicas fecham por falta de pessoalcomo acabou de acontecer em Loures.

Para piorar a situação, o co-pagamento continua a ser obrigatório nestes edifícios: se pretender optar pelos cuidados, deve pague 10 eurosque aumentará dependendo dos testes que devem ser realizados.

E, sim, muitas vezes acontece que o usuário paga (porque não tem outra escolha) e aí nem chega a sua vez ou dizem “volte depois de alguns dias”. Situações kafkianas que ocorrem em face da inação (ou preguiça) do governo socialista.

o morte de um bebê devido à falta de atenção tem sido o gatilho que revela a cena caótica do rede hospitalar publicaem geral, e das Emergências, em particular.

Como é possível que Portugal abandone as mulheres grávidas à sua sorte? Como os hospitais fecham a ginecologia e obstetrícia por uma média de sete dias, tamanha é a escassez de médicos e enfermeiros. Uma circunstância inédita num país da União Europeia e em pleno êxodo de férias para o Algarve

Sim um mulher entra em trabalho de partovocê terá sérias dificuldades porque encontrará uma placa onde poderá ler: «volte em uma semana».

Mais de 15 hospitais Eu sei encontrar neste momento e a enxurrada de fechamentos ameaça se espalhar para todos os serviços. Os portugueses confessam que estão fartos de tal catástrofe no Sistema Nacional de Saúde.

o
Colégio Português de Médicos
estima que seria necessário contratopelo menos para 600 profissionais para trazer de volta uma dica de ‘normal‘. As negociações com o Ministério estão em um impasse.

Além disso, o Colégio de Enfermeiros alerta que o verdadeiro caos ainda pode estar por vir, porque tudo parece muito pior para os próximos dias e semanas.

O primeiro-ministro, o socialista António Costa, limitou-se a reconhecer que o panorama é «muito sérioe», enquanto a Ministra da Saúde, Marta Temido, só soube apontar: «Eivamos tentar contratar».

colapso totalportanto, antes do umadeficiências críticas que apresenta a gestão da saúde no vizinho ibérico. E os cidadãos estão se perguntando o que vem a seguir.

Há já alguns anos que é notório o caos no Serviço de Urgência dos mais importantes hospitais públicos de Portugal. O ministério queria apostar incentivos salariais por atrair mais médicos e assim expandir o escasso campus existente nos últimos anos.

mas semelhante reivindicações não se concretizaram nem um pouco, como se pode ver hoje, entre outras razões porque essa chamada dificilmente foi bem sucedida.

Até 42 euros por hora oferecidos aos médicos portugueses para que aceitem mudar temporariamente as suas outras profissões para fazer face a emergências. S 1.000 euros se eles concordaram em desenvolver um 24 horas dia inteiroalgo totalmente desencorajado pelo College of Physicians.

Atualmente, o ‘oferta‘ Tem sido aumentou até o 50 euros, mas a rejeição dos profissionais continua.

Vê-los
comentários

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *