Supremo Tribunal confirma condenação de ex-gerente do banco Entrimo

Supremo Tribunal rejeita todos os argumentos do arguido e ratifica que deve devolver 1,5 milhões de euros

13 de julho de 2022 . Atualizado às 18h38

Três anos após o julgamento, o Supremo Tribunal confirmou a pena de quatro anos de prisão imposta pelo Tribunal Provincial de Ourense ao diretor de uma agência bancária em Entrimo entre 1998 e 2015. questão, confirmando integralmente os termos da sentença proferida na cidade de As Burgas e rejeitando tudo o que o acusado havia argumentado, José Luis FAem seu apelo.

Assim, consideram provado que o arguido fez disposições indevidas do dinheiro que os particulares lhe entregaram em numerário, confirmando que o montante do que foi fraudado foi de 1,5 milhões de euros, que deve agora ser devolvido à entidade Abanca. O arguido deu-lhes como suporte documental do seu investimento ou depósitos, cartões originais do banco em que efetuou, à máquina de escrever, diferentes notas contabilísticas do investimento inicial e do posterior pagamento de juros, a sentença cobrou, que viu provada a existência de cadernetas que refletiam lançamentos que não coincidem com as contas do banco. Quase todos os afetados eram idosos com muitas poupanças e alguns deles residiam em Portugal. Não há recurso desta decisão.




Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.