SBK

O Campeonato do Mundo de Superbike MOTUL FIM 2022 chega ao Circuito do Estoril, em Portugal, para celebrar a terceira ronda da época. O fim de semana promete trazer muita ação na pista, mas também há algumas estatísticas importantes a serem lembradas. Os números da Ronda apontam-nos para grandes marcos, aniversários de rondas e primeiras conquistas no Campeonato: Veja abaixo tudo o que há para saber sobre a Ronda 3 com o nosso guia de estatísticas do Estoril.


500 – É um ponto que decide o jogo para a Kawasaki: com 494 pódios no total, o fabricante aproxima-se da marca dos 500. O recorde de pódios pertence à Ducati, com 990, o único fabricante a ter ultrapassado 500. O 500º pódio da Ducati foi um segundo lugar alcançado por James Toseland na Corrida 1 em Silverstone 2003, um teste em que a Ducati subiu ao pódio com Hodgson como o vencedor e Xaus na terceira posição.


380 – Um número redondo à vista para a Ducati, que até agora tem 379 vitórias.


340 – As últimas 12 corridas de SBK viram três fabricantes no pódio; mais duas corridas como essa neste fim de semana e a contagem chegará a 340.


180 – Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team WorldSBK) esteve no pódio 178 vezes com a Kawasaki. Mais dois vão dar-lhe não só um número redondo, mas também um número 50 a mais que o total alcançado em toda a carreira do seu melhor concorrente, Troy Corser, que acumulou 130 pódios com Ducati, Aprilia, Petronas, Suzuki, Yamaha e BMW.


175 – Com mais duas corridas nos pontos, Michael van der Mark (BMW Motorrad WorldSBK Team) alcançará 175 corridas de pontos nas SBK.


60 – Se Toprak Razgatlioglu (Pata Yamaha com Brixx WorldSBK) conseguir mais dois pódios neste fim de semana, ele alcançará 60 lugares nas SBK. Com um Hat trick de pódios igualaria James Toseland e Pierfrancesco Chili, que somaram 61 ao longo de suas carreiras.


41 – A Ducati ainda não conseguiu uma Superpole no Estoril. Até agora, os pilotos da marca registaram a pole position em 41 pistas das 52 em que competiram nas SBK.


31 – No ano passado, a Kawasaki venceu pela primeira vez no Estoril, e a pista portuguesa tornou-se a 31ª em que representantes da fabricante japonesa conseguiram uma vitória. No calendário de 2022, a única pista em que a Kawasaki não venceu é a Most na República Tcheca.


vinte – No ano passado, o Estoril tornou-se na 20ª pista que Jonathan Rea venceu, estabelecendo um novo recorde nas SBK. E no final do ano ele ficou ainda melhor: sua 21ª pista vencedora foi Mandalika, a Rodada que encerrou a campanha de 2021.


quinze – Nas dez corridas realizadas até agora no Estoril, até 15 pilotos subiram ao pódio em SBK.


11-8: A Yamaha lidera o ranking do pódio no Estoril à frente da Ducati: 11 a 8. Desde que o Campeonato voltou ao Estoril em 2020, a Yamaha conquistou metade dos pódios em jogo: 9 em 18.


8 – Até agora, o Estoril teve 8 vencedores nas 10 corridas aqui realizadas. Os únicos a somar uma segunda vitória foram Toprak Razgatlioglu e Jonathan Rea.


6 – Toprak Razgatlioglu é o único piloto a ter conseguido seis pódios no Estoril nas suas seis corridas.


5 – O Estoril é a única pista na história das SBK onde 5 pilotos diferentes venceram as 5 primeiras corridas (Davide Tardozzi e Stephane Mertens em 1988, Fabrizio Pirovano e Carl Fogarty em 1993, Toprak Razgatlioglu na Corrida 1 em 2020).


3 – Yamaha e Ducati são os fabricantes mais bem sucedidos no Estoril em termos de vitórias: três cada.


dois – Iker Lecuona (Team HRC) procura o segundo pódio consecutivo na Corrida 1 do Estoril. Ele se tornaria o primeiro novato da Honda a fazê-lo desde que Michael van der Mark conquistou dois terceiros lugares em Assen em 2015.


1 – Em 2020, Toprak Razgatlioglu conquistou a sua primeira Superpole na visita ao Estoril, a primeira para um piloto turco nas SBK.


CADERNO


Vencedores da Corrida de 2021:

• Scott Redding (Ducati, Corrida 1)

• Jonathan Rea (Kawasaki, Tissot Superpole Race e Race 2)


Os dois últimos poles no Estoril:

• 2021: Jonathan Rea (Kawasaki) 1m35,876s

• 2020: Toprak Razgatlioglu (Yamaha) 1m36,154s


Pódios (e vitórias) dos construtores nas provas realizadas no Estoril:

• Yamaha: 11 (3)

• Ducati: 8 (3)

• Kawasaki: 6 (2)

• Bicicleta dupla: 4 (2)

• Honda: 1


Principais diferenças estabelecidas no Estoril em 2021:

• Primeira linha coberta por: 0,288s

• Os sete primeiros da Superpole separados por: 0,987s.

• Menor diferença entre 1º e 2º em uma corrida: 0,690s (Rea 1º, Redding 2º, Superpole Race)

• Pódio de corrida mais próximo: 0,915s (Rea 1º, Redding 2º, Razgatlioglu 3º, Corrida 2)

• Pódio mais apertado de todos os tempos em: 0,863s (Pirovano 1º, Bontempi 2º, Slight 3º, Corrida 2 1993).


Velocidades máximas de cada fabricante no Estoril em 2021:

• Ducati: Chaz Davies – 328,2 km/h, Superpole Race

• Honda: Álvaro Bautista – 328,2. km/h, Corrida Superpole

• Kawasaki: Jonathan Rea e Alex Lowes – 324,3 km/h, FP3 e Superpole Race

• Yamaha: Toprak Razgatlioglu – 322,3 km/h, FP1

• BMW: Tom Sykes – 320,4 km/h, Corrida 1

Acompanhe toda a temporada de 2022 capítulo por capítulo com o WorldSBK VideoPass!

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.