Portugal prolonga o seu domínio e é a rainha do futsal

Eurocopa em 2018, Mundial em 2021… e agora Eurocopa em 2022. Mais uma para Portugal, que nunca havia conquistado um título antes e agora tem três em quatro anos mágicos. Agora, em sua primeira conquista sem Ricardinho, eles venceram o Campeonato Europeu em Amsterdã da maneira que sabem melhor: voltando de 0 a 2. Já começaram assim contra a Espanha nas meias-finais e deram a volta por cima, pelo que era normal ver as caras de aparente calma no banco português após golos de Sokolov e Afanasyev. Fizeram-no de novo e, depois de uma segunda parte brilhante, venceram uma Rússia (4-2) que acariciou mais um Europeu 23 anos depois. Eles terão que esperar. Post Ricardinho Portugal continua a dominar.

Na saída, a Rússia completou um início quase perfeito, possivelmente seus melhores minutos no torneio, com um Portugal travado e sofrendo muito principalmente na defesa do centro. Pany Varela, arrasada, foi a protagonista nos dois gols russos, tentando defender sem sucesso. Ele não pôde evitar a reviravolta dos mencionados Sokolov e Afanasyev. Calma tensa de Jorge Braz, treinador português, no banco. Tomas Paço, antes do intervalo e com a colaboração do guarda-redes Putilov, fechou a diferença antes do intervalo. O plano de Portugal estava em andamento…

Zicky, MVP do torneio

Além de Zicky, MVP do torneio e um dos melhores do planeta, a segunda parte foi estrelado por André Coelho, do Barça. Ele marcou o segundo, chutando um lateral direto e depois que Putilov tentou impedi-lo, finalizando a bola em seu próprio gol, e o terceiro, após uma jogada que o próprio Zicky originou e criou. Faltavam oito minutos e os russos começaram a arriscar, com Abramov como goleiro jogador. A vinte segundos do final Sousa vestido de herói com uma defesa a poucos metros de Sokolov. Quase na buzina, Pany Varela marcou um gol vazio para a explosão de alegria em Portugal. Não perde desde 2016 (agora são 33 jogos oficiais seguidos) e iguala mais um marco para a Espanha: Eurocopa-Copa do Mundo-Eurocopa, como fez a Seleção entre 2004 e 2007. Agora é hora de aprender com eles para reviver tempos melhores.

folha de jogo

4 – Portugal: André Sousa, Erick, João Matos, Bruno Coelho, Pany Varela -primeiros cinco-; André Coelho, Tomás Paço, Afonso Jesus, Fábio Cecílio, Zicky, Miguel Ângelo, Tiago Brito e Pauleta.

2 – Rússia: Putilov, Antoshkin, Chishkala, Davydov, Afanasyev -cinco inicial-; Milovanov, Abramov, Niyazov, Abramovich, Sokolov, Paulinho e Nando.

metas: 0-1, m. 9: Sokolova. 0-2, m. 12: Afanasayev. 1-2, m. 18: Tomás Paco. 2-2, m. 27: André Coelho. 3-2, m. 32: André Coelho. 4-2, m. 40: Pany Varela.

Árbitros: Juan José Cordero Gallardo (Espanha) e Alejandro Martínez Flores (Espanha). Eles advertiram os russos Sokolov e Afanasyev, e o português Tomás Paço.

Incidentes: final da Eurocopa 2022 na Holanda disputada no Ziggo Dome em Amsterdã diante de 1.250 espectadores.

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.