Portal de Notícias do Governo das Ilhas Canárias

O Presidente das Canárias participa na abertura do fórum do grupo D9, que reúne os países mais digitalizados da Europa, realizado no auditório Alfredo Kraus, no âmbito da Conferência Ministerial da OCDE sobre a Economia Digital

O chefe do Executivo destaca a infraestrutura “já consolidada” nas ilhas, que garante capacidade de armazenamento de dados, conectividade e pessoal qualificado, bem como a Agenda Digital Canária e os planos de desenvolvimento aprovados

Torres garante que as Ilhas Canárias “facilitam os investidores porque o nível técnico é máximo e porque os atrativos fiscais e econômicos de nosso REF, único na UE, estão entre os mais competitivos do mundo”

O Presidente das Ilhas Canárias, Ángel Víctor Torres, detalhou esta manhã os múltiplos atrativos econômicos, fiscais, técnicos e de qualidade de vida que as Ilhas Canárias apresentam para investir em informatização e novas tecnologias durante a abertura do fórum do grupo D9, que reúne muitos dos países mais digitalizados da Europa (Bélgica, Espanha, Estônia, Dinamarca, Finlândia, Irlanda, Luxemburgo, Holanda, Polônia, Portugal, República Tcheca e Suécia). O encontro realiza-se esta sexta-feira (16 de dezembro) no auditório Alfredo Kraus, em Las Palmas de Gran Canaria, e é uma das principais atividades paralelas da Conferência Ministerial de Economia Digital da OCDE que Gran Canaria acolhe desde a passada terça-feira. A reunião do D9 coincide com o fórum similar do chamado B9+, grupo que reúne entidades empresariais e corporações daqueles países. Na cerimónia de abertura da reunião do D9, Torres fez-se acompanhar da Secretária de Estado da Digitalização e Inteligência Artificial, Carme Artigas.

Torres sublinhou a importância do facto de a presidência das RUP, que as Canárias já exercem desde novembro passado, coincidir, a partir do segundo semestre de 2023, com a presidência espanhola da UE, “o que seguramente dará um grande impulsionar iniciativas dos setores público e privado relacionadas à economia digital”.

Na sua opinião, “2023 será um ano de novas oportunidades para Espanha, Canárias e União Europeia”, pelo que considera que as ilhas devem “aproveitá-las” e intensificar os progressos alcançados até agora nas chamadas “novas economias, naquelas atividades produtivas que se baseiam no desenvolvimento digital e, sobretudo, nos serviços turísticos, nas quais somos líderes mundiais”.

Torres destaca os atrativos técnicos, fiscais e geoestratégicos das Ilhas Canárias para atrair projetos digitais

Entre as Canárias atrativas para o investimento estrangeiro e nacional apostar nas ilhas, o presidente destacou a infraestrutura digital “já consolidada” de que o arquipélago dispõe, que garante capacidade de armazenamento de dados, conectividade em todas as suas dimensões, pessoal qualificado, planos de desenvolvimento nesta área já aprovado e com financiamento público, uma Agenda Digital das Canárias em andamento e, como confirmado na última terça-feira após sua reunião com a Primeira Vice-Presidente do Governo da Espanha e Ministra de Assuntos Econômicos e Transformação Digital, Nadia Calviño, três projetos do estado Retech programa. Algumas iniciativas de grande envergadura com as quais se pretende aprofundar a relação turismo-digitalização, proporcionar cibersegurança a empresas insulares que não a podem pagar, sobretudo nos setores dos serviços e da construção, e colocar as ilhas na vanguarda da tecnologia green blockchain.

O ‘hub’ comercial e digital mais importante do meio do Atlântico

Torres insistiu em seu discurso que as Ilhas Canárias já são o eixo A economia digital mais importante do meio do Atlântico e a sua posição chave entre três continentes apenas reforça a sua atratividade para o investimento na economia digital. Como sublinhou, “facilitamos porque o nível técnico é máximo e porque os nossos atrativos fiscais e económicos para as empresas, devido ao nosso Regime Económico e Fiscal, único na UE, estão entre os mais competitivos a nível mundial”.

Além disso, aludiu à disponibilidade nas ilhas de “meios técnicos de ponta, máxima segurança a todos os níveis e total garantia na concretização dos investimentos”, o que, na sua opinião, torna o arquipélago um “ideal espaço como destino de investimentos e como suporte para o desenvolvimento de serviços globais e vantagens digitais para o resto do mundo. Podemos dar tudo isso – sublinhou – olhando para a Europa, onde estamos integrados, para África e América porque somos perfeitamente conectados neste amplo espaço tricontinental”.

Torres destaca os atrativos técnicos, fiscais e geoestratégicos das Ilhas Canárias para atrair projetos digitais
Torres destaca os atrativos técnicos, fiscais e geoestratégicos das Ilhas Canárias para atrair projetos digitais

Para o presidente, as Canárias têm ferramentas, potencialidades e vantagens socioeconómicas e ambientais excedentárias para se tornarem um pólo de investimento de referência neste domínio, continuar a crescer solidamente na imparável digitalização global e aprofundar a diversificação da sua economia, que tem sido promovida como nunca antes nos últimos três anos. Uma prova disso é que o subsetor que mais cresceu em empregos desde 2019 é o da programação de computadores (41%).

Miranda Pearson

"Organizador. Introvertido. Fanático certificado pela internet. Beeraholic. Fã de álcool irritantemente humilde."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *