Os Minions, muito mais que diversão e desafios nas redes sociais

O novo filme dos Minions teve grande aceitação do público. Na Argentina, o primeiro da saga é o segundo mais visto da história.


O novo filme dos Minions é um evento e tanto. Na Argentina, pela segunda semana consecutiva, foi a grande favorita do público. As últimas informações disponíveis indicam que Cerca de 1.462.040 pessoas já viram desde sua estreia em 30 de junho. Em todo o mundo, já arrecadou mais de US$ 400 milhões.

“Minions: Nasce um Vilão”, dirigido por Kyle Balda e Brad Abelson, seria lançado em julho de 2020, mas foi adiado devido ao surto do coronavírus. A estratégia de esperar o pior da pandemia passar antes de apresentá-la deu muito certo. Mas além dos salões lotados, há muito o que contar sobre os delirantes seres amarelos .

Este é o quinto filme da franquia, criada pela francesa Pierra Coffin em 2010 com “Meu Vilão Favorito”, em que os Minions apareciam como capangas de Gru, o querido ladrão que tentou roubar a lua e acabou adotando a três órfãs adoráveis, Edith, Margo e Agnes.

Minios is Born a Villain seria lançado há dois anos
“Minios, nasce um vilão”, seria lançado há dois anos.


“Meu vilão favorito” teve duas sequências, em 2013 e 2017. Com seu jeito particular de falar, onde as onomatopeias coexistem com o espanhol, italiano, francês, japonês, coreano e filipino, entre outras línguas os seres amarelos de macacão azul, óculos e um ou dois olhos, ganharam espaço na cultura popular, o que deu origem ao seu próprio filme em 2015, intitulado simplesmente “Minions”.

O fenômeno está muito presente em nosso país.De fato, como existem números confiáveis ​​(em 1997), “Minions”, com 4.933.196 espectadores, é o segundo filme mais visto da história nos cinemas argentinos superado apenas quatro anos depois por “Toy Story 4” com 6.631. 910 espectadores. Nesse ranking, dominado por filmes de animação, está também “Meu Vilão Favorito 3”, de 2017, com 3.834.960 ingressos vendidos.

Geralmente, a atenção é dada ao humor e ao entretenimento oferecidos por esses personagens, mas há outros aspectos relevantes. No universo dos Minions, como em outros filmes como “Shrek” ou “Hotel Transilvânia”, a ideia maniqueísta de quem são os “mocinhos” e quem são os “bandidos” se torna mais complexa.

Como acontece em Os Simpsons ou em Futurama Richard Nixon é motivo de ridículo
Como em “Os Simpsons” ou “Futurama”, Richard Nixon é ridicularizado.


As referências históricas e políticas são um clássico da franquia, o que gerou especulações de que O nome de Gru – que fala com sotaque da Europa Central – pode vir da sigla para Glavnoye Razvedyvatelnoye Upravlenie, inteligência militar soviética.

Uma das piscadelas políticas mais marcantes da franquia é encontrada em “Meu Malvado Favorito”. Quando Gru precisa de apoio financeiro para seu projeto de roubar a lua, ele recorre ao “Banco do Mal”. Um sinal esclarece o nome que costumava ter: “Ex-Lehman Brothers” referindo-se à instituição bancária norte-americana que faliu em 2008, fortemente associada à crise financeira mundial iniciada naquele ano.

Em “Minions” é contada a origem desses personagens imortais: desde suas origens como organismos unicelulares, até lidar com Tiranossauros (os dinossauros são um clássico da animação)para depois lidar com outras referências icônicas, como os antigos egípcios, o Conde Drácula e Napoleão, até chegar ao ano em que o filme se passa, em 1968. A ação segue para ao Palácio de Buckingham, onde se encontram com a Rainha Elizabeth .

A revista MAD publicou em 1961 uma capa dupla com os dois candidatos presidenciais
A revista MAD publicou em 1961 uma capa dupla com os dois candidatos presidenciais.


Nesse filme vemos isso Na convenção de vilões com a presença dos Minions em Orlando estão o polêmico ex-presidente dos Estados Unidos Richard Nixon e o genocida chileno Augusto Pinochet. Nixon reaparece em um pôster publicitário das eleições que finalmente venceu naquele ano representando o Partido Republicano.

O novo filme se passa em 1976 e mostra Gru quando criança. Aqui, vemos o “Banco do Mal” novamente, embora, como os eventos são anteriores, não haja sinal do Lehman Brothers.

Há uma referência política muito sutil quando um dos vilões atende ao chamado feito por “The Wild 6” para recrutar novos membros do feixe. Na sala de espera, um homem encapuzado lê um número lembrado do revista humorística “MAD” que saiu em 1961: na capa parabenizavam o candidato republicano, o surrado Nixon, que é a imagem vista no filme. O que não se vê na tela é que nessa mesma edição da publicação, na contracapa fizeram o mesmo com John Fitzgerald Kennedy, uma forma de se posicionar cinicamente diante da realidade.

Otto um dos personagens que mais gera risadas
Otto, um dos personagens que mais risadas gera.


As gargalhadas que se ouvem nos cinemas antes de cada gag dos Minions confirmam a eficácia da proposta. O momento que provoca as maiores gargalhadas é quando o três Minions -Kevin, Stuart e Bob- eles ficam com os olhos marejados no estilo do Gato de Botas de “Shrek”. O outro Minion excelente também gera uma recepção muito boa, ottoque usa aparelhos ortodônticos.

Entretenimento e humor são complementados por um estética de época de muito sucessoincluindo um cinema onde “Tubarão” está sendo assistido e uma breve aparição de um caminhão parecido com Scooby-Doo. As roupas e penteados de acordo com a época. Também são destacadas as belas imagens de diferentes aspectos de São Francisco, como as ruas íngremes, a arquitetura típica das casas, o Golden Gate e Chinatown. Essa é a cidade para onde Gru é levado após ser sequestrado por seu vilão mais admirado, Willie Cobra.

Cobra, que acaba sendo uma espécie de figura paterna para Gru, é traído pelos demais membros do “The Wild 6”, um grupo de vilões que roubam uma preciosa joia mágica, a Joia do Zodíaco. Esses personagens, que acabam sendo liderados por Donna Disco, fazem o filme ter muito Artes marciaismuito parecido com o acupunturista chinês, Master Chow, que ensina kung fu aos Minions. Na verdade, A voz de Pierre Pinza, um dos vilões da versão original foi feita por Jean Claude Van Damme.

Ao estilo do Gato de Botas do Shrek, os Minions também sabem pedir coisas com os olhos
Ao estilo do Gato de Botas de “Shrek”, os Minions também sabem pedir coisas com os olhos.


Um dos destaques do filme é a trilha sonora.que inclui covers de músicas de Kool and The Gang, Stan Getz e João Gilberto, Nancy Sinatra, The Carpenters, John Lennon e Santana, entre outros. Há também uma música que saiu no mesmo ano em que o filme se passa, neste caso cantada por seus próprios autores: “Blitzkrieg Bop”, dos Ramones. Já no trailer soava “Sabotage”, dos Beastie Boys, que apesar de ser dos anos noventa, tem um videoclip que cultiva a estética dos anos setenta.Os Rolling Stones também estão presentes com “Você sempre pode conseguir o que deseja”.

Como sempre, os próprios Minions cantam, neste caso “Cecilia” de Simon e Garfunkel. Por sua vez, Gru ainda criança interpreta “Bad Moon Rising” no chuveiro, o clássico imortalizado por Creedence Clearwater Revival.

Toda essa bagagem musical funciona como incentivo para os adultos que levam crianças ao cinema. Ao mesmo tempo, como os mais novos certamente desconhecem todas as referências, o filme pode ser uma ótima porta de entrada para a música dos anos sessenta e setenta .


Justamente, foi o público da chamada “Geração Z”, ou seja, as pessoas nascidas no início deste século, que protagonizou um fenômeno nas redes originado dos Minions. Dezenas de jovens de diversos países Eles se reuniam nos cinemas vestidos com elegância, como “cavalheiros”e depois postar as imagens no TikTok e outras redes com a hashtag #gentleminions.


Segundo alguns relatos, alguns cinemas da Inglaterra e dos Estados Unidos teriam proibido a entrada desses grupos devido ao suposto transtorno que causavam a outros espectadores ao jogar pipoca e fazer barulho durante o filme. Em alguns cinemas da Argentina, grupos vestidos assim também compareceram sem que ninguém reclamasse de sua presença.

A empolgação dos jovens é lógica, se levarmos em conta que a maioria deles eram apenas crianças quando o primeiro filme foi lançado, em 2010. Ou seja, eles cresceram com a franquia . Após dois anos de espera, o esperado finalmente chegou.

A Universal Pictures, empresa dona da Illumination, produtora do filme, endossou os seguidores. “Para todos aqueles que aparecem para ver os Minions de Terno: Nós vemos vocês e amamos vocês” eles escreveram no twitter. Laconic, da conta dos Minions, eles responderam referindo-se à hashtag da moda: #Gentleminions.


Mas não apenas os jovens se interessam pelo mundo dos Minions. Recentemente, houve um relatório sobre Quentin Tarantino o diretor que é um conhecido amante da animação, onde disse que além de ser fã de “Peppa Pig”, o primeiro filme que viu com o filho foi “Meu Vilão Favorito 2”

O fenômeno dos seres amarelos já se enraizou e une várias gerações.

Darcy Franklin

"Amante da TV. Ninja da música. Fanático por viagens amador. Fã de bacon. Evangelista de comida amigável. Organizador freelance. Fanático certificado pelo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *