Os bares clandestinos que se passavam por clubes e sindicatos que foram fechados pelas autoridades em Bogotá

As autoridades fecharam um total de 29 locais que usavam seu nome comercial para serem centros de entretenimento noturno na capital

Em operação realizada pelas autoridades da capital do país nos dias 7, 8, 9 e 10 de abril, foram realizadas 110 inspeções nas cidades de Ciudad Bolívar, Rafael Uribe, San Cristóbal, Usme, Engativa, Puente Aranda e Chapinero, a 80 bares e 30 clubes que indicaram que eram sindicatos.

Sob o nome comercial de clubes ou sindicatos, esses sites escaparam ao controle das autoridades e usava função de discotecas de entretenimentomas devido à operação realizada no âmbito da campanha Juntos Cuidamos de Bogotá, foi possível iniciar o processo administrativo contra esses estabelecimentos.

Conforme indicado pelas autoridades no trabalho conjunto realizado pela prefeitura e o Ministério do Trabalho, o fechamento desses espaços dá um sinal aos estabelecimentos que pretendem contornar a jurisdição das entidades de controle, indicou o secretário de Governo Felipe Jiménez : “Estamos convencidos de melhorar a segurança e a convivência, por isso acreditamos que não devemos nos esconder atrás de figuras legais para fugir das responsabilidades como estabelecimentos comerciais.”

Nos estabelecimentos vedados verificou-se que Combinavam com bares, pistas de dança e outros elementos de uma boate, além do licor que era vendido. Esta é uma ação em meio às medidas anunciadas pela prefeita Claudia López para reforçar a segurança em Bogotá.

A Prefeitura de Bogotá anunciou que a Unidade Administrativa Especial de Serviços Públicos (UAESP), juntamente com as secretarias de Integração Social, Cultura, Recreação e Esportes e o Instituto Distrital da Infância e Juventude (IDIPRON), criou o Esquadrão de Limpeza para conscientizar os cidadãos sobre a importância de manter os espaços públicos limpos e arrumados.

Isso por causa o trabalho de mais de 6.000 sanitaristas foi prejudicado, que percorre as 20 localidades da cidade varrendo, limpando, coletando e lavando ruas, parques e em geral todo o espaço público, coletando mais de 273 toneladas de resíduos, um peso equivalente a a de oito ônibus biarticulados TransMilenio.

Essa equipe será formado por 980 jovens pertencentes ao programa Parceros da Secretaria de Integração Social, que percorrerá 19 das 20 localidades atendendo as denúncias de vazamentos e despejos clandestinos que os cidadãos denunciam pela web uaesp.gov.co/juntoscuidamosbogota.

Dessa forma, uma vez relatada a denúncia, o plantel irá até o local limpar e cuidar do espaço junto com a comunidade.

“Com esta estratégia queremos convocar os cidadãos para que juntos cuidemos do espaço público da cidade. Podemos colocar 100.000 pessoas com vassouras e caminhões compactadores com os custos que isso implica, mas sem o apoio e a co-responsabilidade dos cidadãos, Bogotá parecerá suja e negligenciada. Para isso, pedimos aos cidadãos de Bogotá que denunciem esses fluxos de resíduos em nosso site. Assim, você denuncia, limpamos e juntos cuidamos de Bogotá”explicou Luz Amanda Camacho, diretora da UAESP.

Para Henry Murrain, subsecretário de Cultura Cidadã e Gestão do Conhecimento, é muito importante que os cidadãos adquiram “mudanças de comportamento, como o cuidado com o meio ambiente, a correta separação de resíduos e a manutenção de nossos parques e áreas comuns; aspectos que nos permitem ter uma convivência saudável e fazer parte da mudança para construirmos juntos a cidade que precisamos”.

CONTINUE LENDO

Eles resgatam um pescador que estava perdido por 3 dias nas proximidades do Parque Tayrona
Atenção: Petro propõe que Procuradoria Geral da República mude para uma “grande procuradoria anticorrupção”

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.