O hobby peculiar que Javier Solís fez incógnito

Além de ser um excelente cantor, Javier Solís também se movimentava como palhaço (Foto: INAH)

Javier Solis não só ele foi um dos cantores mais importantes que o México já teve, mas ele poderia ter se tornado um dos atores da tragicomédia do era douradaporque uma de suas maiores paixões era vestir-se e agir incógnito.

A chamada Rei do Bolero Rancheroapesar de ter um carreira muito curta como cantorpermaneceu no coração de seu público graças ao seu talento como cantor e sua capacidade de atuar como ator, mas em poucas ocasiões seus espectadores puderam perceber o quão bom ator ele era.

Solís iniciou sua carreira artística como quase a maioria dos artistas de seu tempo, dentro do teatros, tendas e discotecasfoi lá que descobriu que não era apenas um excelente cantor, mas que era fascinado pelo humor ácido que eles tinham palhaços.

o "Bolero Rei" se apaixonou pela tragicomédia dos circos (Foto: INAH)
O “Rei do Bolero” se apaixonou pela tragicomédia dos circos (Foto: INAH)

Desde muito jovem percebeu que se identificava com a forma como os palhaços representavam o que trágico e engraçado que poderia ser a vida, então tentou se vestir como um deles.

ela se maquiou todo o rosto de forma exagerada, colocar uma perucaum terno e subiu ao palco com um grupo de comediantes que ele já conhecia, lá ele descobriu que encarnar um desses personagens era muito libertadorentão, no meio da ascensão de sua carreira de cantor, passou a ser, incógnito, um palhaço.

Como compartilhado através de seu álbum Palhaçovestir-se e agir como se tivesse se tornado seu “saída emocional”pois só assim lhe foi possível sair do caráter de cantor apaixonado e expandir seu outro eu com gestos e atitudes que seu caráter como A voz do veludo não pegaria bem.

Infelizmente, o público foi reduzido, sabendo que estava aparecendo no circo, pôde vê-lo atuar, pois este segredo foi revelado apenas um ano antes de ele morrer.

Javier tornou público seu gosto pelo papel de palhaço um ano antes de morrer, em 1965 (Foto: Twitter/@VinylMexico)
Javier tornou público seu gosto pelo papel de palhaço um ano antes de morrer, em 1965 (Foto: Twitter/@VinylMexico)

O intérprete também viu como desafio interpretar um palhaço, porque além de não querer que ninguém percebesse que era o próprio Javier Solís que estava aparecendo no palco com maquiagem e peruca, ele achava que encarnar esses personagens era muito duroporque eles tinham que ser engraçados e trágicos ao mesmo tempo.

Em várias ocasiões, depois que esse hobby peculiar foi revelado, ele revelou que, Se não fosse cantor, teria se dedicado inteiramente a ser palhaço..

Javier Solís não se contentou em ser palhaço numa pequena tenda ou teatro, mas procurou aparecer nos circos mais importantes do país, foi assim que conseguiu chegar ao Circo Atayde.

Dentro da barraca da família Atayde, Solis aprendeu a aperfeiçoar sua maquiagem, transformar seus sentimentos em performances e emocionar as pessoas.

Como Celeste Atayde compartilhou em diferentes entrevistas, Solís costumava chegar ao circo sem avisar e se vestir de palhaço para subir ao palco (Foto: Facebook/El México que se fue)
Como Celeste Atayde compartilhou em diferentes entrevistas, Solís costumava chegar ao circo sem avisar e se vestir de palhaço para subir ao palco (Foto: Facebook/El México que se fue)

No Circo Atayde, dedicou-se a oferecer, ano após ano, um função especial para atores da Associação Nacional de Atores (VAI) que não sabia que Javier era um dos palhaços estelares até lançar seu álbum Palhaço.

Além disso, como compartilhado pela família circense da época, veio inesperadamente e pediu que fosse feito um espaço para ele nas funções do dia para que pudesse subir ao palco com alguma rotina, que às vezes nem era planejada.

Também, em muitas ocasiões peças especiais e gratuitas organizadas para as famílias que eles não tinham os recursos necessário pagar um ingresso para o circo.

Como compartilhou Salvador Mendiola para um meio de comunicação local em Zacatecas, quando era um menino de 12 anos, ele teve a oportunidade de ver o intérprete de Tons no Circo Atayde e seu show foi tão trágico que o fez ir às lágrimas.

CONTINUE LENDO:

Javier Solís: como foram os últimos dias do “Rei do bolero ranchero”
O dia em que as duas esposas de Javier Solís brigaram em um hospital
Quem ensinou Pedro Infante e Javier Solís a cantar

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.