O desafio do Troféu Oceânico JS Elcano: A circum-navegação do futuro

Na próxima terça-feira será cumprida 500 anos de um evento histórico que mudou o mundo e deu origem à globalização. A primeira circunavegação do mundo culminou com o marinheiro basco, Juan Sebastião Elcano, após mais de três anos de navegação e todo tipo de vicissitudes durante a viagem; É, sem dúvida, o maior feito marítimo de toda a história. Uma aventura completada por 18 marinheiros que voltaram para Sanlúcar de Barramedaexaustos e no limite de suas forças, em 6 de setembro de 1522.

Será nessa mesma data, nesta terça-feira, 6 de setembro, quando o Troféu Oceânico Juan Sebastián Elcano e seus regulamentos oficiais para um novo desafio esportivo que visa conectar passado, presente e futuro; história, navegação oceânica e ciência, projetando o feito e a figura de JS Elcano para novos horizontes.



O novo Troféu, com origem e destino na Andaluzia, terá a sua largada e chegada oficial em Sanlúcar de Barrameda. A rota é tão fácil de entender quanto difícil de completar com uma volta ao mundo para o Ocidente seguindo uma rota muito semelhante à traçada pelo navio Victoria 500 anos atrás.

Da foz do Guadalquivir enfrentar-se-á a travessia e descida do Oceano Atlântico. A passagem pela América do Sul, uma das maiores dificuldades da grande jornada, pode ser feita em mar aberto através da mítica Cabo Horn (Chile) ou pelo Estreito de Magalhães. Da Patagônia, a rota cruzará toda a oceano Pacífico até o Estreito de Torres (Norte da Austrália) e o oceano Índico ao Cabo da Boa Esperança (África do Sul). A volta ao Atlântico chegará à ilha das Flores, a noroeste dos Açores (Portugal), último marco obrigatório, antes de chegar à meta, novamente em Sanlúcar de Barrameda, onde parará o relógio, que irá registar os tempos oficiais do desafiantes.

O Troféu Oceânico JS Elcano, reconhecerá todas as embarcações e tripulações que completem esta circunavegação cumprindo um regulamento cujos detalhes serão revelados na apresentação de 6 de setembro no Castillo de Santiago.

Segundo a organização, “nenhuma outra região do mundo poderá concorrer à sede desta Desafio planetário, Assim como nenhuma cidade ou catedral do mundo pode competir com a Galiza pelo Caminho de Santiago, ou com o Paquistão pelo acampamento base K2. A partir de terça-feira, o Troféu Elcano será patrimônio de Sanlúcar de Barrameda, Cádiz e Andaluzia.

“Vamos transformar uma rota histórica em um desafio internacional e temos certeza de que, com o tempo, se tornará o sonho e a aspiração de velejadores e aventureiros profissionais de todo o mundo. Você tem que entender que não estamos falando de uma regata de frota, é um troféu, as regras de um contra-relógio planetário.”

o marinha espanholaque colaborou neste projeto para o futuro e que também relembra um feito incrível desde o seu início, criou uma escultura única que será apresentada na noite de 6 de setembro.

Na peça de bronze, de mais de 30 quilosregistrará suas credenciais (navio, bandeira, capitão, tripulação e tempo gasto) as equipes que no futuro conseguirem completar o desafio de acordo com seu regulamento.

Na qualidade de “Defensores” históricos do Troféu, a Marinha acordou com a Associação organizadora, a permanência da escultura no Castelo de Santiago, até que o primeiro desafiante a consegui-la tenha a honra de a levar rio acima, para a museu naval da Torre del Oro em Sevilha.

vice-almirante Inácio Horcada explica o diferencial deste projeto: “Embora inspirado na história original, o Troféu Oceânico Elcano olha para o futuro. É um grande desafio desportivo, mas também tecnológico, que representa o desafio da economia circular, da transição energética e da proteção do ambiente e dos oceanos. Se o navio-escola da Marinha foi o melhor legado do IV Centenário da 1ª Volta ao Mundo, tenho certeza que o Troféu Oceânico JS Elcano pode ser o grande legado de um V Centenário que a próxima semana chegará ao fim.”

O Troféu Oceânico JS Elcano é uma ideia original de Mar abertodesenvolvido em colaboração com a Associação Sanluqueña 500 Anos 1ª Circunavegação à Velae conta com o apoio institucional da Marinha, da Governo da Andaluzia através do Ministério do Turismo, Cultura e Desporto, do Ministério da Cultura e do Desporto e do Conselho Provincial de Cádiz.

O evento de apresentação, na próxima terça-feira, conta, por sua vez, com a colaboração do Município de Sanlúcar de BarramedaBodegas Barbadillo, Grupo Barymont, Cadimar, Distribuciones Cuevas, Ocean 52, Opera Business Global e Viñedos Robyn, que oferecerão sua edição limitada Tinta Rota – V Centenario aos hóspedes do Castelo.

Eloise Schuman

"Fã de café. Especialista em viagens freelance. Pensador orgulhoso. Criador profissional. Organizador certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.