Morata dá à Espanha o passe contra Portugal para a fase final da Liga das Nações

A seleção masculina de futebol da Espanha vai repetir sua presença no Final Four da Liga das Nações depois de tirar o vitória que precisava para selar o seu bilhete depois de vencer Portugal por 0-1 que teve as melhores chances, mas foi punido por sua decisão de especular na reta final com um gol de Álvaro Morata aos 89 minutos.

O atacante de Madrid empurrou para a rede um Assistência de cabeceamento de Nico Williams depois de um bom cruzamento de Dani Carvajal para dar uma vitória sofrida e que esteve quase sempre mais próxima das de Fernando Santos, que colidiu com um inspirado Unai Simón, felino a todas as distâncias para resolver mais uma noite instável atrás.

O guarda-redes da Biscaia foi fundamental para a sua equipa chegar vivo aos últimos quartos de hora onde os de Luis Enrique Martínez finalmente dominaram e tirou o petróleo para quebrar a série de empates com o vizinho, juntar-se à Itália, Croácia e Holanda e fortalecer o ânimo para a Copa do Mundo no Catar.

O técnico renovou seus onze muito em relação ao sábado e só manteve, além de Unai Simón, Pau Torres, Ferran Torres e Pablo Sarabia, para tentar melhorar o desempenho, mas a medida não deu muito resultado e novamente foi muito errática e pouco afiado naquele último terço contra a Suíça.

Rodri, Koke e Carlos Soler ofereceram implantação, mas a seleção nacional faltou um pouco mais de velocidade e precisão nas suas posses para desarmar um Portugal bem estabelecido, sem muitas brechas e sempre perigoso com o seu futebol mais vertical e a velocidade de Bernardo Silva e Diogo Jota, companheiros de um Cristiano motivado Ronaldo.

Os comandados de Fernando Santos tiveram mais dificuldade em construir por trás e um bom teste foi talvez a melhor oportunidade para os visitantes. Uma boa pressão na lateral causou o erro local e a bola acabou chegando a Sarabia em uma posição muito boa, mas ele não foi muito rápido e sua tentativa de chute colocado foi bloqueada pela defesa.

A Espanha queria estar no controle e nem mesmo quando pressionada na frente optou pelo gramado, o que lhe causou um susto desnecessário, mas faltou a ‘faísca’ que um Portugal colocou em suas ações, que aos poucos foi tomando o jogo ao seu campo e que aproveitou as melhores ocasiões.

Rúben Neves, num remate forte de fora da área, testou as luvas de Unai Simón, que elevou a sua performance e os seus reflexos rápidos para fazer uma defesa válida a Diogo Jota após uma rápida transição. Mais um poderoso remate de fora de Bruno Fernandes, com o efeito óptico a fazer acreditar mesmo no grande golo, fechou o melhor troço ‘tuga’.

A Espanha recuperou, mas perdeu duas boas transições nas fases finais, demonstrando aquele déficit que se arrasta e que costuma pagar caro. Apesar disso, A primeira solução de Luis Enrique após o intervalo foi substituir Busquets pelo amarelo Guillamón e colocar Rodri no centro.

Portugal mais uma vez deu uma séria assim que saiu do balneário. Um erro de Carvajal deixou a bola para Diogo Jota que colocou uma boa bola para Cristiano que não conseguiu superar em sua saída rápida para um Unai Simón mais uma vez decisivo. Os homens de Fernando Santos começaram melhor e continuaram a segurar o ‘Vermelho’, incapazes de encontrar o seu ritmo e reduzir as suas imprecisões.

Espanha vence Portugal na Liga das Nações
Hugo Delgado

O treinador asturiano procurou soluções com a entrada em uníssono de Pedri, Gavi e Yeremi Pino para causar algum dano a uma rival que, com o passar dos minutos, preferiu abrir mão de metros para tentar surpreender os espaços que a tricampeã europeia tinha que deixar se quisesse se classificar para a ‘Final Four’.

Mas os sustos voltaram. A intuição de Carvajal deu um tiro que estava dentro de Rúben Dias depois de uma falta lateral e Gayà tirou uma bola de Cristiano na frente de Unai Simón para manter os espanhóis vivos, cuja resposta foi menos perigosa, com dois chutes fracos de Morata e Nico Williams, o último ‘bala’ de Luis Enrique.

Esses chutes finalmente animaram La Roja que, com mais uma marcha, partiu para a vitória e Diogo Costa agora teve que dar uma boa mão no atacante do Atlético, o protagonista decisivo com seu gol no último suspiro que puniu a pouca ambição local, que ainda tinha mais um nas chuteiras de Cristiano Ronaldo, novamente parado por Unai Simón.

UEFA Nations League - Grupo B - Portugal x Espanha
Os jogadores da seleção nacional comemoram a vitória contra Portugal
MIGUEL VIDAL

Ficha de dados

Portugal: Diogo Costa; João Cancelo, Rúben Dias, Danilo, Nuno Mendes; Ruben Neves (João Félix, min. 89), Willian Carvalho (Vitinha, min. 79), Bruno Fernandes; Diogo Jota (Rafa Leão, min.78), Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva (João Matio, min.73).

Espanha: Unai Simon; Carvajal, Guillamón (Busquets, min.46), Pau Torres, Gayà; Koke (Pedri, min.60), Rodri, Soler (Gavi, min.60); Ferran Torres (Williams, min.73), Morata e Sarabia (Pino, min.60).

Meta: 0-1, minuto 89. Morata.

Juiz: Daniele Orsato (ITA). Advertiu Bernardo Silva (min.47), Nuno Mendes (min.83) e João Félix (min.95), para Portugal, e Guillamón (min.31) e Carvajal (min.54), para Espanha.

Incidentes: Município de Braga. 28.196 espectadores.

Cedric Schmidt

"Amante de café irritantemente humilde. Especialista em comida. Encrenqueiro apaixonado. Especialista em álcool do mal."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *