Mariza deslumbrou no encerramento do Festival de Fado no Centro Cultural Kirchner

cantora portuguesa Marisa coroado com uma apresentação notável o Festival de Fado 2022 que mais um ano se passou Centro Cultural Kirchner apresentando as vozes mais marcantes deste gênero musical, Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade declarado pela UNESCO.

“Boa noite Buenos Aires, é uma honra ter a oportunidade de dizer mais uma vez, espero que você tenha uma noite agradável”, disse Mariza para dar início a um concerto intimista, apesar do Auditório Nacional lotado. A cantora, considerada uma das maiores vozes do gênero, disse ao público: “Nasci numa pequena colónia portuguesa, Moçambique, por isso a África sempre esteve muito presente”.

Mais tarde deu a conhecer o seu último álbum, que é uma homenagem ao fadista mais importante de todos os tempos, Amália Rodriguese introduzido Beijo: “O meu último álbum é uma homenagem ao melhor fadista de sempre, foi gravado no Brasil, com uma orquestra brasileira e um produtor brasileiro”.

então seguido RasgarA música preferida da Mariza que nos convidou a viver o momento mais intimista da noite “onde vou falar um pouco mais de mim, da minha vida”disse.

Mariza falou, cantou e conquistou mais uma vez o público argentino. Ela compartilhou sua empolgação por estar de volta a Buenos Aires, contou detalhes de sua vida durante a pandemia: “Ficámos sem poder fazer concertos, vi-me encurralado, e foi aí que comecei a pensar que tipo de concerto queria ouvir; Comecei a fazer uma busca pessoal, o que eu quero pra minha vida, e cheguei a conclusão que o que eu busco pra minha vida é o sentimento mais impressionante de tudo que é o amor”. entao veio Há palavras que nos falam e o princípio do fim onde os portugueses confessaram que “Este provavelmente foi o show mais carinhoso desta turnê, muito obrigado pelo carinho”.

Ovelha negrade Amália Rodrigues, marcou o final de uma noite em que o fado se sentiu tão local como o tango.

Mariza: “O fado representa a alma das pessoas”

Antes de sua apresentação no Festival de Fado de Buenos Aires, Mariza falou sobre o fado, o público e a situação atual do gênero musical:

O que significa para um fadista sair e cantar esta música tradicional portuguesa fora do seu país?

É sempre uma honra poder levar esse gênero musical patrimônio mundial pelo mundo e assim contribuir para sua divulgação.

Como é recebido pelo público? O interesse pelo gênero cresceu nos últimos anos?

Felizmente o público sempre me recebe muito bem, sou um artista muito querido, há vinte e três anos tenho a oportunidade de cantar esta música representativa de um país e de um povo. Sempre foi maravilhoso, é muito bom poder cantar para outras culturas e saber que a música tem o dom de fazer com que pessoas que não falam a mesma língua se sintam conectadas.

Qual é a situação atual do fado? Quando se tornou um gênero tão popular?

O fado é um género musical que desperta cada vez mais interesse pelas suas características únicas e por representar a alma das pessoas.

Um pouco de história

o o fado é a música portuguesa mais representativa do seu país. Nasceu nos bairros humildes de Lisboa, era marginal e, por isso, uma arte desvalorizada. É percebida como uma mistura de melancolia, nostalgia e luto, geralmente é cantada por um solista acompanhado por uma guitarra portuguesa e uma guitarra acústica. Em 2011, a UNESCO o declarou Patrimônio da Humanidade.

Amália Rodrigues (1922–1999) é o mais admirado e respeitado fadista português. Modernizou as letras sem abandonar as suas raízes e levou-as a todos os cantos da cidade de Lisboa, universalizando esta arte.

o Centro Cultural Kirchnerapresentou de quinta-feira, 24, a este sábado, 26, o Festival de Fado 2022 com a presença dos melhores expoentes do gênero.

O primeiro dia foi inaugurado pela cantora camané ao lado do pianista Mário Laguinhaque repassaram algumas das composições do disco que gravaram juntos Aqui está-se sosse.

Camané: “Fado é vida”

Carlos Manuel Moutinho Paiva dos Santos Duarteartisticamente conhecido como camanéé a mais importante voz masculina do fado, nasceu em Oeiras, Lisboa, Portugal, a 20 de Dezembro de 1966, e ganhou notoriedade pelos seus discos Uma Noite de Fados, Esta coisa dá alma, Como sempre… como dante, A arte de Camané – O príncipe do Fado, Sempre da Mim Y Dois dias e amorentre outros.

Antes da sua apresentação no Festival de Fado 2022, falou sobre a situação atual deste género, o seu crescimento, o público, entre outras coisas:

O que significa para um fadista sair e cantar esta música tradicional portuguesa fora do seu país?

Para um fadista, ou para mim, sair de Portugal e cantar por todo o mundo é uma honra e um prazer.

Como é recebido pelo público? O interesse pelo gênero cresceu nos últimos anos?

Minha experiência como artista que viaja e canta pelo mundo sempre foi muito positiva, todo o público me recebeu muito bem independente de entender ou não a poesia que canto.

Qual é a situação atual do fado? Quando se tornou um gênero tão popular?

Acho que o fado tem despertado um interesse crescente em todo o mundo, o fado tem-se descoberto em todo o lado e onde quer que vá, fica. O fado tem vindo a crescer em Portugal e no mundo. Há cada vez mais jovens interessados ​​em cantar e tocar este gênero musical, acho que estão de boa saúde.

Se pudesse definir em poucas palavras o que é o fado, como o definiria?

Fado é vida. Quando o fado se tornou Património Cultural Imaterial da Humanidade, deu um salto gigantesco pela importância desta distinção. O mundo inteiro queria saber o que era essa música e por isso ela é cada vez mais procurada.

O que gostaria que acontecesse com o fado a nível global?

Gostaria que continuasse a crescer, como tem vindo a acontecer, e que surgissem cada vez mais intérpretes e músicos que valorizem esta nobre forma de arte.

“O tango e o fado estão gémeos”

Frederico Carmoprodutor do Festival de Fado, contou como Buenos Aires foi escolhida como a nova sede do evento que acontece em 16 cidades e 12 países: “O Festival de Fado realiza-se desde 2014 em Buenos Aires, percebemos que seria importante o fado estar presente num país e numa cidade com uma tradição musical tão importante e com uma música gémea como o tango. Justamente ambos são Patrimônio Cultural da Humanidade. Isso fez-nos acreditar que fazia muito sentido ter um festival de fado nesta cidade”.

Sobre esta edição, destacou: **“Temos grandes expectativas porque teremos três grandes shows, com Camané e Laginha, que são dois monstros. Camané é a voz masculina mais importante do fado e Mário Laginha é um dos pianistas mais importantes de Portugal e por isso o primeiro concerto será sem dúvida uma grande ocasião cultural. Depois trazemos uma jovem artista, Buba Espinho, o festival tem sempre o propósito de trazer novos artistas e, por fim, apresentamos a mais importante fadista e artista portuguesa, Mariza, que com certeza dará um concerto inesquecível”.

Buba Espinho: “O fado está em alta”

A portuguesa, natural de Beja, fechou o segundo dia do Festival de Fado de Buenos Aires, que terminou este sábado com a apresentação de Mariza.

É a nova geração do fado, Buba Espinho materializa a relação entre dois patrimónios culturais imateriais da humanidade: o fado e o canto alentejano, género onde a voz é centrada sem recurso a instrumentos musicais. Integrou o Festival de Fado de Buenos Aires, que decorre no Centro Cultural Kirchner, e esta sexta-feira deu um concerto na Sala Argentina acompanhado por Luis Guerreiro na guitarra portuguesa e Adriano Alves no contrabaixo acústico.

Sobre Buba Espinho

É uma das promessas mais esperadas da nova geração do fado, concretiza a relação entre dois patrimónios culturais imateriais da humanidade: o canto alentejano e o fado. Esta cantora começou por participar em grupos tradicionais, passou pelas casas de fado mais icónicas de Lisboa e projeta uma carreira internacional.

Sobre o que é o fado, sair da sua terra para o cantar, conquistar outros públicos, Espinho fala nesta nota:

O que significa para um fadista sair e cantar esta música tradicional portuguesa fora do seu país?

É uma grande honra poder sair de Portugal e representar a música portuguesa e o povo português.

Como é recebido pelo público? O interesse pelo gênero cresceu nos últimos anos?

Felizmente, o público tem tido uma excelente recepção da minha música. Procuro sempre criar uma ligação muito forte com o público.

Qual é a situação atual do fado? Quando se tornou um gênero tão popular?

Atualmente, o fado é um dos gêneros que mais viaja pelo mundo. Há muitos fadistas e guitarristas na nova geração e tenho a certeza que o caminho do fado será sempre ascendente!

Se pudesse definir em poucas palavras o que é o fado, como o definiria?

Uma forma de sentir e viver a vida.

O que gostaria que acontecesse com o fado a nível global?

Que ele continue sendo reconhecido e admirado pelo maior número de pessoas possível. Mas vai depender sempre dos fadistas e dos músicos, e da forma como os tratamos.

Créditos Mariza: Cortesia Centro Cultural Kirchner / Foto: Manuel Pose Varela.
Créditos Buba Espinho: Cortesia Centro Cultural Kirchner // Foto: Fede Kaplun.
Camané-Laginha Créditos: Cortesia Centro Cultural Kirchner // Foto: Manuel Pose Varela.

Joseph Salvage

"Fanático hardcore de mídia social. Propenso a ataques de apatia. Criador. Pensador. Guru dedicado da web. Aficionado por cultura pop. Solucionador de problemas."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *