“Estamos cada vez mais perto de 50 graus”

A Espanha vive um nova onda de calor que assola todo o país. Rubén del Campo, porta-voz da AEMETexplicou hoje que provavelmente chegarão temperaturas mais altas do que na onda de calor de junho. “É acompanhado por temperaturas noturnas mais altas e valores muito altos em áreas desconhecidas. Já vimos até 40 graus em Burgos ou Palencia”, ressaltou.

Este calor intenso que já vivemos é causado por um DANA que temos atualmente no oeste do país. Isso, nas palavras do porta-voz, “está promovendo ar muito quente do norte da África“, embora seja possível que, com o passar dos dias, no final da semana esteja mais perto da península. pode causar uma queda de temperatura fornecendo mais ar fresco. No entanto, “devemos ser cautelosos porque é difícil diagnosticar o movimento das DANAS”, assegurou.

Por enquanto, de acordo com as previsões meteorológicas, teremos 7 dias com temperaturas muito altas, “no calor extremo que precisamos nos concentrar.” Quanto mais longa for uma onda de calor, “maior será o impacto dos incêndios florestais e a saúde das pessoas”, especialmente os mais vulneráveis.

Chegaremos a 50ºC?

Embora o meteorologista assegure que durante esta onda não vamos alcançá-los, confirma que estaremos relativamente próximos. Em algumas partes da Espanha como Córdoba ou Badajoz prevê-se que esta semana as temperaturas atinjam os 46ºC (a máxima é de 47,4ºC em Montoro, Córdoba). No entanto, em outras zonas “menos acostumadas”, os valores também atingirão máximos e ultrapassarão os 40, como é o caso de Burgos.

De qualquer forma, destacou Del Campo, mais de 45 graus são temperaturas muito alto e rarogeralmente em nosso país. “Ainda há um longo caminho a percorrer para chegar a 50 graus. Em algum momento isso chegará, espero que não neste ano ou no próximo, mas no ritmo que estamos indo estamos nos aproximando cada vez mais”.

Incêndios florestais em Espanha e Portugal

Nesta última semana, em Espanha e Portugal são inúmeros os incêndios que já queimaram centenas de hectares. Com a chegada da onda de calor, o risco de incêndio disparou em toda a península.

Na Espanha, neste momento, há três incêndios que estão sendo acompanhados com preocupação em Sevilha, La Rioja e Cáceres. Embora estejam estabilizados, não foram declarados completamente extintos. Em Portugal, porém, a situação é pior. Mais de 100 incêndios que ativaram o estado de contingência. Altas temperaturas, ventos fortes e secas estão piorando cada vez mais a situação.

“Portugal sofre com a mesma onda de calor que Espanha e tem um ambiente muito seco, viva um seca extrema. Isso ajuda a secar a vegetação e, uma vez que um incêndio começa, a propagação é muito rápida“, explicou na entrevista.

“Antecipamos que à tarde, nas zonas de montanha, haverá tempestades. Isso pode até ajudar a deflagrar os incêndios. Se essas tempestades forem acompanhadas de pouca chuva e muitos relâmpagos, naturalmente, esses relâmpagos podem iniciar incêndios“.

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.