Definição incrível de uma corrida de 110 metros com barreiras: o vencedor mergulhou de cabeça na linha de chegada

João Vítor Oliveira venceu uma prova de 110 metros com barreiras ao mergulhar de cabeça

Uma corrida com desfecho de infarto se tornou a mais comentada nas redes sociais nas últimas horas. Aconteceu no final da corrida 110 metros com barreiras no Campeonato de Portugal de Atletismo. O vencedor, um atleta brasileiro chamado João Vitor Oliveiraprevaleceu sobre seus concorrentes de forma extraordinária: ele mergulhou de cabeça na linha de chegada e ficou com a vitória.

Nas imagens vê-se que Oliveiraque representa o famoso clube SL BenficaEle lutou cara a cara com Abdel Larrinagaque concorreu em nome do Sporting Lisboa. Ambos chegam à definição com chances concretas de vencer, mas ninguém contava com a astúcia do português nacionalizado brasileiro.

Com essa manobra chocante, alegrar conquistou a vitória extremamente apertada no Estádio Dr. Magalhães Pessoa: acertou o cronômetro em 13,83 segundosenquanto Larrinaga fez isso em 13,86. Eles estavam separados apenas por três milésimos de segundo.

João Vítor de Oliveira mergulhou de cabeça no gol no Rio 2016

Mas não é a primeira vez João Vitor Oliveira ele mergulha de cabeça na meta para obter o resultado desejado. De fato, é uma técnica não convencional que o levou a obter bons resultados em outras ocasiões, como quando tal salto permitiu que ele se classificasse para as semifinais na 110 metros com barreiras do Jogos Olímpicos Rio 2016. A última vez que o fez foi em 2019, também no campeonato português.

Apesar de alguns usuários comentarem que Oliveira arrisca um tempo precioso ao tentar o seu salto, a verdade é que as gravações mostram que não é improvisado. Quando parece que chega desestabilizado e está prestes a perder o equilíbrio devido à velocidade com que correm suas pernas, ele acaba se lançando como se fosse um super-herói para cruzar a linha de chegada na primeira posição.

João Vitor Oliveira entrou para a equipe de atletismo benfiquista Em dezembro de 2017 e três anos depois, adquiriu a nacionalidade portuguesa. eles o apelidam João da Barreira porque compete nos 60 e 110 metros com barreiras. “Nos últimos 3 anos, mais precisamente desde que cheguei ao Benfica, estabilizei-me como pessoa e como homem, fui abraçado por toda a estrutura e, dentro disso, consegui dar o meu melhor. A nível profissional, foi a altura em que mais evoluí”, disse em entrevista ao jornal oficial do clube.

CONTINUE LENDO:

Torção inesperada no caso do atleta agredido antes de uma prova: a denúncia que expôs a verdade
Ela foi nadadora olímpica e agora tem sua própria “ginásio mental”: a argentina que trabalha com os All Blacks e integrou um time de futebol
Perseguiu um ladrão, quebrou um tendão e não vai participar do Mundial de Atletismo: a lesão inusitada do melhor arremessador de martelo

Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.