A Xunta pede à Moncloa a mesma “determinação” com o AVE que Portugal tem

O presidente da Xunta da Galiza, Afonso Ruedamostrou esta sexta-feira a sua “farta” das “proclamações, estudos e compromissos” que o governo central lança na ligação do AVE de Vigo à fronteira portuguesa e pediu ao Executivo a mesma “determinação” do país vizinho tem para esta infra-estrutura.

Isso foi afirmado em declarações à mídia antes de comparecer a principal apresentação da Galiza na Feira Internacional de Turismo (Fitur)que se realiza esta semana em Madrid.

Em concreto, o presidente galego agradeceu ao Executivo português a aposta no AVE para a fronteira galega, que será “muito benéfico” porque permitirá o “desenvolvimento” e um aumento do turismo para a comunidade.

“Isto traduz-se em orçamento, em concursos, que é o que faz as obras andarem. O contrário está a acontecer do lado espanhol, que este ano no Orçamento Geral do Estado só inclui 30 mil euros para a ligação de Vigo à fronteira portuguesa”, ele lamentou.

Por isso, solicitou correspondência ao “esforço” feito pelo país português. “Não faz sentido que as obras avancem rapidamente e quando chegam à fronteira não consigam ligar porque o mesmo não foi feito do lado espanhol”, acrescentou Rueda.

“Já estamos um pouco fartos de estudos, editais, compromissos. Há quatro anos que ouvimos compromissos sobre infra-estruturas importantes, mas apenas com estudos, encomendas de consultores… As obras não avançam. As obras avançam com orçamentos e licitações”, disse. condenado.

Mais tarde, no seu discurso no evento, o presidente galego voltou a referir-se à chegada do AVE à Galiza, esperando que este ano ligue outras cidades galegas a Madrid, além de Ourense como tem feito até agora.

Eloise Schuman

"Fã de café. Especialista em viagens freelance. Pensador orgulhoso. Criador profissional. Organizador certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *