A surpresa da Liga das Nações chama-se Hungria

Ele marcou uma visita à Inglaterra e é o líder de um grupo onde divide com Itália e Alemanha

A Hungria é a superlíder do grupo 3 da Liga das Nações da UEFA, onde compartilha nada menos que Alemanha, Itália e Inglaterra. Este último acaba de ganhar uma visita por uma vitória esmagadora de 0-4.

A seleção inglesa não levanta a cabeça. Dos quatro jogos disputados em junho, os homens de Gareth Southgate não conseguiram vencer nenhum; a última delas, uma derrota vergonhosa em casa contra a Hungria (0-4), a pior desde que os ‘mágicos magiares’ de Ferenc Puskas e Sandor Kocsis os derrotaram por 3-6 em 1953.

A partida que deveria ter servido de redenção para os ingleses, após a derrota em Budapeste (1-0), o empate em Munique com a Alemanha (1-1) e o empate com a Itália em Wolverhampton (0-0) só serviram para aumentar os problemas de criar o conjunto dos ‘Três Leões’, que nunca foi capaz de representar um perigo real para uma equipe a priori inferior como a húngara.

LEIA: Espanha reage à Suíça e Portugal lidera grupo na Liga das Nações

Apesar de os ingleses terem começado a cabecear do promissor Jarrod Bowen à queima-roupa que clareou a defesa húngara na linha do gol, logo se notou a fragilidade defensiva da equipe de Southgate, que inovou com a entrada de Reece James na lateral-esquerda e continuou com sua confiança no goleiro do Arsenal Aaron Ramsdale.

Com apenas 15 minutos no placar, uma falta na área, entre sete zagueiros ingleses, coube a Sallai para colocar um voleio que Kyle Walker chegou atrasado e que apenas Ramsdale conseguiu tocar.

0-1 para a Hungria, o que poderia ter causado mais sangue se James não tivesse cobrado uma falta da área de gol sem ângulo. A derrota ao intervalo enervou os ingleses, que vaiaram a sua equipa, mas o futebol dos ‘Três Leões’ não mudou. Grosso, sem ideias e sem ligar na frente com Harry Kane, perdido pela falta de criatividade de jogadores como Bukayo Saka, Jude Bellingham e Conor Gallagher.

Mal testando Denes Dibusz, goleiro do Ferencvaros, o time inglês chegou ao 0-2 quando ainda achava que tinha muito tempo para voltar. A 20 minutos do final, Kalvin Phillips, meio-campista do Leeds United, perdeu uma bola em três quartos do campo, deu para Adam Lang e deixou a bola aberta para Sallai para que, com a parte de fora do pé, o Freiburg vai sentenciar a partida abaixo das pernas de Ramsdale.

Kane, que está a apenas três gols de igualar o recorde de gols de Wayne Rooney com a seleção (53), cabeceou no travessão nos minutos finais, mas longe de estimular os ingleses a compensar o resultado, foi apenas o primeiro para 0-3, uma chicotada Zsolt Nagy de fora da área. Para piorar a situação, John Stones foi expulso por um cartão amarelo duplo e Daniel Gazdag fez 0-4 no último minuto.

Esta é a primeira derrota da Inglaterra em casa desde a derrota para a Dinamarca em outubro de 2020, a primeira vez que perdeu por três gols ou mais desde as quartas de final da Copa do Mundo de 2010 contra a Alemanha e sua pior derrota em casa desde que perdeu por 3 a 6 contra a Hungria em 1953 A partida terminou com olés da torcida magiar.

Os ingleses continuam no último lugar do Grupo A da Liga das Nações com apenas dois pontos após quatro jogos, cinco atrás do líder, a Hungria.

MIRA TAMBI IN: Mbappé evita mais uma queda da França e Croácia surpreende Dinamarca

VOLTAR PARA CASA

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.