A Espanha começará a vacinação contra a varíola dos macacos; contagem mundial excede 1.000: grandes atualizações

Em meio à disseminação global da varíola, o Brasil se tornou o último país a relatar seu primeiro caso de paciente infectado pelo vírus. Um homem de 41 anos infectado viajou para Espanha e Portugal, informou o Ministério da Saúde do país em comunicado. Em Nova York, as autoridades de saúde suspeitam de infecção em dez pessoas depois de testarem positivo para Orthopoxvirus. “A maioria dessas pessoas teve casos leves, não foi hospitalizada e se recuperou por conta própria”, disse uma atualização no site de saúde da cidade.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já identificou quase 1.000 casos até agora desde que o surto foi registrado por países “não endêmicos”. A maioria dessas infecções foi detectada na Grã-Bretanha, Canadá, Alemanha, Portugal e Espanha, embora quase 3 países tenham atendido pacientes. Monkeypox é uma doença rara, relacionada à mesma família de vírus da varíola. A doença é transmitida principalmente entre as pessoas através do contato direto pele a pele e através de objetos contaminados, como roupas. Os sintomas iniciais incluem febre alta, linfonodos inchados e uma erupção cutânea semelhante à varicela.

Aqui estão as cinco atualizações sobre a propagação do Monkeypox:

1) As autoridades de saúde da Espanha começarão a vacinar contatos próximos com casos confirmados de varíola, informou a agência de notícias Reuters, citando funcionários do Ministério da Saúde. A nação europeia tem mais de 242 infecções até agora.

2) No Reino Unido, o governo intensificou os esforços para retardar a propagação do vírus. Na quinta-feira, emitiu um comunicado pedindo aos moradores diagnosticados com a doença que se auto-isolassem de outras pessoas em sua casa. O comunicado também pediu aos pacientes infectados que mantivessem suas roupas separadas e evitassem contato próximo com animais de estimação.

3) O painel consultivo independente de vacinas da Alemanha recomenda que as vacinas contra a varíola dos macacos sejam priorizadas para pessoas infectadas. Sob a sugestão, duas injeções devem ser administradas com pelo menos 28 dias de intervalo para pessoas não vacinadas anteriormente contra a varíola, enquanto uma única dose é suficiente para aqueles que receberam uma vacina contra a varíola antes, informou a Reuters citando o painel. conselheiro.

4) A Grécia também parece ter encontrado o primeiro caso do país, tornando-se o último país da Europa a relatar a disseminação. Segundo a Bloomberg, o doente tinha viajado recentemente para Portugal. As autoridades de saúde dizem que são necessários mais testes para ter certeza absoluta da infecção.

5) O diretor-geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que o risco de a varíola se estabelecer nesses países não endêmicos era real, mas evitável. A doença zoonótica é endêmica em humanos em nove países africanos.

(Com suprimentos da agência)


Calvin Clayton

"Encrenqueiro incurável. Explorador. Estudante. Especialista profissional em álcool. Geek da Internet."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.