A CAA alerta para a “grande lacuna de gênero” na informação esportiva na televisão

SEVILHA, 5 (EUROPE PRESS)

O esporte feminino ocupa apenas 9% do número de notícias esportivas nas notícias da televisão regional pública andaluza, Canal Sur TV e Andalucía TV, em comparação com 85% dos homens e 6% das informações mistas, segundo um relatório preparado pelo Conselho Audiovisual da Andaluzia (CAA) sobre o desporto feminino, que alerta “mais uma vez para a grande diferença de género que existe no desporto na televisão, onde as mulheres continuam sub-representadas”.

Apesar de “alguns passos terem sido dados” na presença de mulheres, a CAA considera que estes são “praticamente insignificantes” na avaliação global, que lança uma imagem muito semelhante à de há cinco anos, como destacou esta quarta-feira em comunicado no que ele ofereceu alguns dados do relatório.

A este respeito, salientou que “apesar da evolução e crescimento do próprio desporto feminino nestes anos, ainda falta correspondência entre a realidade das atletas femininas e a história da televisão pública regional”. A CAA tem assim insistido na necessidade de inverter uma situação em que duas em cada três intervenções nas notícias desportivas são realizadas por homens e ocorrem nas notícias sobre futebol.

“A predominância dos homens é tão avassaladora entre os atores desportivos em geral que não só monopolizam 100% das intervenções nas notícias sobre o futebol masculino, como têm um peso considerável na informação sobre o futebol feminino”, sublinhou. Este relatório faz parte de um estudo internacional realizado no âmbito da Rede de Instituições Reguladoras do Mediterrâneo (RIRM) e conta com a participação, além da CAA, do Conselho Audiovisual da Catalunha (CAC) e dos reguladores da Armênia, Croácia, Sérvia, Portugal, França e Marrocos.

Para este relatório, a CAA analisou a presença do esporte feminino nos noticiários e programas esportivos da televisão linear, tomando como universo os dois canais RTVA –Canal Sur TV e Andalucía TV– e como amostra de três semanas consecutivas de três meses consecutivos deste ano de 2022 –primeira semana de fevereiro, segunda de março e terceira de abril–.

Na amostra analisada, o esporte está presente, quase que exclusivamente, no noticiário diário com 1.478 notícias, sendo testemunhal a presença do esporte em programas especializados (três notícias) ou transmissões (duas notícias), que, aliás, foram apenas transmitido na TV Andaluzia, não tendo sido encontrado no Canal Sur TV, exceto notícias esportivas dentro do noticiário.

Por esta razão, a análise centra-se nas notícias e intervenções com tempo de fala no noticiário diário, e em particular naqueles desportos em que existe um número significativo destes. O relatório indica que o futebol é o esporte predominante no noticiário diário, com 55% do número de notícias – sem diferenças entre Canal Sur e Andalucía TV, pois são os mesmos noticiários, transmitidos em ambos os canais RTVA. –.

As notícias de futebol, além disso, são mais longas, pois ocupam 61% da duração. Seguem em importância o basquete –12% do número de notícias e 11% da duração–, tênis –7% das notícias– e ciclismo (5%). Nos programas especializados da TV Andaluzia, falavam de automobilismo e golfe, enquanto suas transmissões eram sobre equitação e basquete. 85% DE NOTÍCIAS SOBRE ESPORTES MASCULINOS

Os esportes masculinos respondem por 85% do número de notícias, em comparação com 9% para mulheres e 6% para notícias mistas. Para esportes específicos, nas notícias sobre futebol, 93% se referiam ao masculino, 4% ao feminino –e 2% ao misto–. De fato, só o futebol masculino é o protagonista de uma em cada duas (55%) notícias esportivas, contando qualquer esporte e seu gênero.

Além do futebol, os esportes em que a modalidade masculina –citando apenas aqueles com um número significativo de notícias– tem maior participação são: basquete (98%), automobilismo (97%) e futsal (95%). Entre esses mesmos esportes com maior número de notícias, não há informações sobre a variedade feminina no ciclismo, automobilismo e futsal.

Pelo contrário, os desportos onde se registou uma predominância da variedade feminina são o andebol (92%) e o rugby (86%). Apenas no noticiário desportivo existe uma percentagem elevada (59%) de referências mistas. Por outro lado, as intervenções de pessoas com tempos de fala em notícias esportivas são dominadas por homens em 87%, sendo 100% no basquete, ciclismo e futsal, 97% no futebol, 95% no tênis e 93% nas notícias esportivas . Por outro lado, as mulheres dominam no handebol (97%), rugby (90%), badminton (86%) e golfe (83%). No conjunto, duas em cada três intervenções desportivas no noticiário diário são realizadas por homens no noticiário futebolístico. ALTA PRESENÇA FEMININA NAS NOTÍCIAS DO HANDEBOL

Essa alta porcentagem de mulheres envolvidas em notícias sobre handebol, rugby ou badminton se deve ao fato de serem notícias sobre as variedades femininas desses esportes. O handebol, com 70 intervenções no total –66 delas mulheres–, é o esporte feminino com maior relevância neste estudo –quarto esporte em número de intervenções totais, depois do futebol, tênis e basquete, focado nas variantes masculinas — .

Das 1.082 intervenções registradas em todas as notícias sobre esportes, 684 (63%) são realizadas por homens em notícias sobre futebol masculino. No futebol masculino, a percentagem de homens que participa é praticamente de 100% (99,71%), enquanto, por sua vez, as mulheres, no futebol feminino, representam 70%, o que significa que há 30% de homens que intervêm no notícias sobre o futebol feminino (treinadores, especialistas, etc.).

Quase todas as pessoas com tempo de fala em notícias esportivas são atletas (função de atores esportivos), alcançando esse papel 95% em notícias diárias, 100% em retransmissões e 81% em programas esportivos, onde também aparecem representantes. instituições, especialmente os conselhos e conselhos andaluzes.

Novamente, a predominância masculina e futebolística é “esmagadora” entre os atores esportivos: das 1.053 intervenções (em qualquer tipo de programa) nessa função, 917 (87%) correspondem a homens e 704 (67%) delas aparecem em notícias de futebol , quase todos (650, 62%) nas informações do futebol masculino.

Perante estes dados, o Conselho do Audiovisual da Andaluzia instou a uma “profunda” reflexão sobre a necessidade de as transmissões e informações desportivas serem mais igualitárias e equilibradas, adotando medidas para aumentar a presença do desporto feminino e assim corresponder à realidade da sua prática.

A CAA enviou a decisão aprovada pelo Plenário deste órgão e o relatório técnico aos grupos parlamentares do Parlamento Andaluz, às diferentes federações desportivas da Andaluzia, ao Comité Olímpico Espanhol, à Secretaria Geral do Desporto do Ministério da Turismo, Cultura e Esportes da Diretoria e da RTVA.

Cedric Schmidt

"Amante de café irritantemente humilde. Especialista em comida. Encrenqueiro apaixonado. Especialista em álcool do mal."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *